Salmo 88

04/09/2008

 

Lamentação de um atribulado
Cântico. Salmo dos filhos de Corá. Ao mestre
de canto. Para ser cantado com cítara.
Salmo didático de Hemã, ezraíta

1 Ó Senhor, Deus da minha salvação, dia e noite clamo diante de ti.
2 Chegue à tua presença a minha oração, inclina os teus ouvidos ao meu clamor;
3 porque a minha alma está cheia de angústias, e a minha vida se aproxima do Seol.
4 Já estou contado com os que descem à cova; estou como homem sem forças,
5 atirado entre os finados; como os mortos que jazem na sepultura, dos quais já não te lembras, e que são desamparados da tua mão.
6 Puseste-me na cova mais profunda, em lugares escuros, nas profundezas.
7 Sobre mim pesa a tua cólera; tu me esmagaste com todas as tuas ondas.
8 Apartaste de mim os meus conhecidos, fizeste-me abominável para eles; estou encerrado e não posso sair.
9 Os meus olhos desfalecem por causa da aflição. Clamo a ti todo dia, Senhor, estendendo-te as minhas mãos.
10 Mostrarás tu maravilhas aos mortos? Ou levantam-se os mortos para te louvar?
11 Será anunciada a tua benignidade na sepultura, ou a tua fidelidade no Abadom?
12 Serão conhecidas nas trevas as tuas maravilhas, e a tua justiça na terra do esquecimento?
13 Eu, porém, Senhor, clamo a ti; de madrugada a minha oração chega à tua presença.
14 Senhor, por que me rejeitas? Por que escondes de mim a tua face?
15 Estou aflito e prestes a morrer desde a minha mocidade; sofro os teus terrores, estou desamparado.
16 Sobre mim tem passado a tua ardente indignação; os teus terrores deram cabo de mim.
17 Como águas me rodeiam todo o dia; cercam-me todos juntos.
18 Para longe de mim afastaste amigos e companheiros; os meus conhecidos se acham nas trevas.


Este é mais um salmo atribuído aos filhos de Corá. Apenas temos a indicação de uma pessoa que faria parte desse grupo conhecido dessa forma, no nome de Hemã, ezraíta. Este era reconhecido como homem sábio e foi um dos parâmetros da época para comparar e exemplificar a sabedoria extrema de Salomão (que era maior - 1 Reis 4.31).

No salmo, vemos claramente a angústia de uma pessoa atribulada, que está passando por dificuldades, e que se sente abandonada à própria sorte. E vemos o clamor dessa pessoa, buscando no Senhor a resposta para suas aflições, a solução para seus dilemas. Afinal, se não acreditasse que o Senhor poderia realizar algo, não faria o clamor! Se estivéssemos do lado desse salmista e ele falasse tudo isso, será que iríamos entender como algo correto ou iríamos recriminar o salmista por falar de tantas angústias?

Ele não fala de angústias por conta de sofrimentos físicos exatamente. Não detalha doenças. Antes, fica claro que seu sofrimento é mental, sua angústia passa por crises internas. Há situações externas que agravam sua situação, mas a maior crise parece ser mesmo a mental. Sente-se abandonado, a ponto de se comparar com quem já morreu! As aflições externas apenas agravam sua inquietação mental e a sua busca se mostra na tentativa de solução, claro, para qualquer angústia externa, mas muito mais para uma solução em sua mente.

O salmista descreve o abandono. Normalmente as pessoas se afastam de quem está passando por crises internas. Afinal, muitas vezes a pessoa que passa por isso não precisa de conselhos e nós, seres humanos, queremos sempre fazer algo para ajudar, dar uma palavra, qualquer coisa. Mas há situações em que a pessoa só precisa desabafar. Muitos de nós nem estamos preparados para ouvir certos desabafos, pois uma pessoa em crise pode falar coisas duras! E pode ser que sua crise tenha realmente razão! Há muitos que exageram seus problemas, mas há aqueles que realmente passam por dificuldades muito sérias!

Vemos a descrição desse abandono no salmo. Seus conhecidos se afastaram. Há uma solidão profunda que pode agravar qualquer problema mental, qualquer sofrimento, e pode desencadear doenças físicas! Não é obrigatório que isso aconteça. Não será com todas as pessoas. Mas alguns irão desenvolver doenças em seu corpo por conta de problemas psicológicos. Isso acontece mais do que se imagina! Alguns exageram nessa possibilidade, mas ela é real!

Diante desse quadro, o salmista deposita no Senhor sua confiança. Uma pessoa que não conhece ao Senhor pode até se envolver em atividades erradas para tentar minimizar o sofrimento, buscar alternativas em situações que não trarão a solução, mas que poderão criar uma falsa sensação de solução. Mas aquele que teme ao Senhor, mesmo que passando por angústias, irá buscar no Senhor a resposta e a solução para suas crises. O desabafo inicial pode ser duro, mas será necessário para que a pessoa consiga acertar seus pensamentos. Afinal, se pararmos para pensar na comparação do salmista de si mesmo como se fosse um morto, acredito que daí para frente nenhum desabafo será mais exagerado que esse...

Vejo nesse salmo que precisamos aprender algumas coisas:

1) As pessoas que buscam ao Senhor, vivem uma vida reta, também podem passar por angústias! Isso não acontece só com quem anda em pecado. Não acontece o sofrimento apenas por conta de correção diante de um erro. Estamos no mundo e passamos por aflições (João 17.15). Não trate as pessoas que estão passando por dificuldades como se todas estivessem passando por isso por conta de erros. Há pessoas que passam por isso para correção de erros, mas há os que passam por algum propósito do Senhor (quer testemunho de libertação, quer para saber o que é o sofrimento e para estar pronto para ajudar outros e por aí vai);

2) Devemos buscar ao Senhor. Não importa o momento, a crise ou o que quer que seja. Devemos apresentar nosso louvor e nossa angústia diante do Senhor;

3) Precisamos aprender a ouvir. Há quem passe por angústias sérias e ao desabafar, a pessoa está pedindo ajuda. Muitas vezes, só precisa de um ombro, um ouvido amigo, nada mais. Não precisa de palavras de consolo, não precisa de sugestões, muito menos de recriminação por conta de seu desabafo. Precisa saber que alguém está ouvindo. Como em um velório: você sabia que as lembranças mais comentadas das pessoas que estão passando por luto são das pessoas que chegaram ao local do velório e apenas colocaram a mão no ombro? Quer dizer que apenas estar presente e ouvindo já será uma grande ajuda! Não se preocupe em falar ou fazer algo, a não ser que a pessoa peça isso!

Que o Senhor nos ajude em nossas angústias e que estejamos prontos para ajudar outras pessoas em suas crises!

 

Forte abraço.
Em Cristo,
Ricardo, pastor

Esta meditação foi enviada em 04/09/08 por e-mail.