Somos chamados para perdoar

03/09/2008

 

"Amai os vossos inimigos..." - Leia Mateus 5.43-48

"perdoa as nossas dívidas como nós perdoamos" - Leia Mateus 6.12-14

"... orando, se tendes alguma coisa contra alguém, perdoai..." - Leia Mateus 11.25-26.

Sempre dizemos que ser cristão é a melhor coisa para a nossa vida. Sempre que estamos evangelizando, tentamos mostrar que a vida de crente é muito boa, que Cristo nos promete uma vida em abundância, que tudo é muito bom debaixo da orientação do Senhor.

Onde fica João 14.21 (Aquele que tem os meus mandamentos e os guarda...)? Temos vivido ele em todos os momentos?

Não podemos nos esquecer que amargura, rancor etc., são doenças muito graves que muitas vezes nos atacam. Podemos identificar nos textos citados no início desta meditação que o Senhor é contrário a todos os tipos de doença dessas características: que necessitam do remédio chamado perdão. Temos que evitar isso no nosso meio.

Como lidar com a mágoa? Com sinceridade, com diálogo. O Perdão é o remédio que deve ser administrado contra essas doenças. É o Perdão que faz com que a caminhada de fé continue. Não adianta se dizer cristão e manter mágoa no coração sem resolver. O ideal é perdoar e esquecer. Mesmo que a lembrança permaneça, não devemos mais levar o passado confessado em consideração.

Problemas resolvidos são problemas resolvidos.

Precisamos nos lembrar que remorso (sentir o erro e não se arrepender) e arrependimento (sentir o erro, buscar resolver e mudar, buscar frutos de reconciliação) são situações distintas. Não adianta só dizer que perdoou. É preciso se dar fruto disso! Não adianta só pedir perdão. É necessário se arrepender de fato!

Entendo que assim estaremos observando melhor o cristianismo, levando em conta realmente o que Jesus disse para fazermos (de acordo com os textos acima citados). Estaremos auxiliando no crescimento do Corpo de Cristo e na propagação do Evangelho.

Vivamos os frutos do perdão. Se você tem a necessidade de se reconciliar com alguém, procure essa pessoa hoje ou o mais rápido possível. Mas lembre-se: não adianta fazer isso só por mero ativismo. Vivamos o Evangelho de maneira ampla e plena, com seus frutos. Que o Senhor mesmo nos abençoe.

 

Forte abraço.
Em Cristo,
Ricardo, pastor

Esta meditação foi enviada em 03/09/08 por e-mail.