Primeiro o altar

02/09/2008

 

Esdras 3.1-7

1 Quando chegou o sétimo mês, estando já os filhos de Israel nas suas cidades, ajuntou-se o povo, como um só homem, em Jerusalém.
2 Então, se levantou Jesuá, filho de Jozadaque, com seus irmãos, os sacerdotes, e Zorobabel, filho de Sealtiel, e seus irmãos; e edificaram o altar do Deus de Israel, para oferecerem sobre ele holocaustos, como está escrito na lei de Moisés, homem de Deus.
3 Colocaram o altar sobre a sua base; pois o terror estava sobre eles por causa dos povos das terras e ofereceram sobre ele holocaustos ao Senhor, holocaustos pela manhã e à tarde.
4 E celebraram a festa dos tabernáculos como está escrito, e ofereceram holocaustos diários segundo o número ordenado para cada dia,
5 e em seguida o holocausto contínuo, e os das luas novas e de todas as festas fixas do Senhor, como também os de qualquer que fazia oferta voluntária ao Senhor.
6 Desde o primeiro dia do sétimo mês começaram a oferecer holocaustos ao Senhor; porém ainda não haviam sido lançados os alicerces do templo do Senhor.
7 Deram dinheiro aos pedreiros e aos carpinteiros; como também comida e bebida, e azeite aos sidônios, e aos tírios, para trazerem do Líbano madeira de cedro ao mar, para Jope, segundo a concessão que lhes tinha feito Ciro, rei da Pérsia.


Muitas vezes, esperamos todas as coisas estarem em ordem para realizarmos algum trabalho. A desculpa de que falta algo, faz com que adiemos o sonho, o projeto e os dias vão passando...

Claro que dependendo da situação, não dá para fazer tudo! Mas, ainda assim, podemos fazer parte do sonho, do projeto, sem a desculpa de que tem que esperar para ter tudo em ordem. Podemos até não fazer tudo ou da melhor forma, mas não devemos nos acomodar diante de qualquer desculpa e deixarmos de lado a realização. Devemos, ao menos, fazer o que é possível! Se é que existem complicações que nos impedem de completar algo em determinado momento. Uma vez que, muitas vezes, criamos dificuldades que não existem.

Sei que há situações que comprometem a realização de algo. Mas há outras que são apenas fruto de nossa imaginação ou até de uma tentativa de esperar mais um pouco para realizar depois. Devemos tomar cuidado com o que realmente é problema e o que é criação de nossa fértil imaginação...

No texto de hoje, apesar de enfrentar problemas com outros povos nesse momento, o povo de Israel não deixou de oferecer sacrifícios ao Senhor. Pela história de Ageu e Zacarias, sabemos que o templo ainda levou um tempo para ser terminado. Mas isso não impediu o povo da realização de sacrifícios, aquilo que a Lei definia que era necessário.

Havia desculpas reais! Uma tentativa de parar com o trabalho, o templo ainda não estava terminado, havia outras coisas para terminar antes de dar o trabalho de reconstrução da Nação por encerrado. O povo poderia esperar e dizer que ainda tinha outras coisas para colocar em ordem antes de realizar qualquer tipo de oferta no altar.

Mas é isso que quero chamar a atenção nesse texto: eles edificaram o altar. Se pensarmos em altar, no Antigo testamento, como local de oferta, de sacrifício, entenderíamos que o povo estava preocupado em oferecer esses sacrifícios para acalmar o Senhor depois do tempo do exílio. Mas muito mais que uma tentativa de acalmar o Senhor, eles demonstraram obediência, afinal faziam segundo o número ordenado (a Lei era o motivador). E, além disso, restauraram primeiro aquilo que dava maior intimidade entre o povo e o Senhor, pois com o altar restaurado, o sacrifício poderia acontecer e o pedido de perdão seria possível. Logo, seria a chance de reconciliação, de busca da vontade e presença do Senhor.

Quando as dificuldades nos impedem de realizar o trabalho completo para o qual temos chamado, devemos procurar força para seguir no evento principal: nosso relacionamento com o Senhor. Se acertarmos esse relacionamento, buscarmos Sua vontade e, independente das dificuldades ou circunstâncias, começarmos a realizar a vontade Dele (não a nossa, mas a Dele), ainda que não seja possível fazer todo o trabalho por dificuldades diversas, em nenhum momento estaremos parados, sem realizar ao menos parte do trabalho.

Não use desculpas para deixar para depois. Use a força que vem do Senhor para começar a realizar desde já, ainda que de forma limitada, mas sempre buscando a vontade Dele. Aí, logo você poderá se dedicar de forma completa ao trabalho que o Senhor tem para você!
 

Forte abraço.
Em Cristo,
Ricardo, pastor

Esta meditação foi enviada em 02/09/08 por e-mail.