Salmo 84

24/07/2008

 

Saudades do templo
Ao mestre de canto. Segundo a melodia
"Os lagares". Salmo dos filhos de Corá

1 Quão amáveis são os teus tabernáculos, ó Senhor dos exércitos!
2 A minha alma suspira! Sim, desfalece pelos átrios do Senhor; o meu coração e a minha carne clamam pelo Deus vivo.
3 Até o pardal encontrou casa, e a andorinha ninho para si, onde crie os seus filhotes, junto aos teus altares, ó Senhor dos exércitos, Rei meu e Deus meu.
4 Bem-aventurados os que habitam em tua casa; louvar-te-ão continuamente.
5 Bem-aventurados os homens cuja força está em ti, em cujo coração se encontram os caminhos altos.
6 Passando pelo vale de Baca, fazem dele um lugar de fontes; e a primeira chuva o cobre de bênçãos.
7 Vão sempre aumentando de força; cada um deles aparece perante Deus em Sião.
8 Senhor, Deus dos exércitos, escuta a minha oração; inclina os ouvidos, ó Deus de Jacó!
9 Olha, ó Deus, escudo nosso, e contempla o rosto do teu ungido.
10 Porque vale mais um dia nos teus átrios do que em outra parte mil. Preferiria estar à porta da casa do meu Deus, a habitar nas tendas da perversidade.
11 Porquanto o Senhor Deus é sol e escudo; o Senhor dará graça e glória; não negará bem algum aos que andam na retidão.
12 Ó Senhor dos exércitos, bem-aventurado o homem que em ti põe a sua confiança.


Este é mais um salmo atribuído os filhos de Corá. Já passamos por outros salmos atribuídos a esse "grupo".

Vemos nesse salmo alguns motivos para justificar a frequência ao culto, afinal o lugar de busca é amável, o Senhor dá força, transformando adversidade em bênção, cuida e fortalece...

Participar de atividades cúlticas deve ser considerado um privilégio! Um momento de alegria, de entrega, de devoção. Se não tivermos isso em mente, se não sentirmos prazer em estar na presença do Senhor (o momento que, humanamente, deixamos tudo para essa busca é o momento da atividade cúltica), não está em nós o sentimento deste salmo, que tem prazer e alegria em buscar ao Senhor. Claro que isso não pode ser limitado ao desejo de estar na igreja! Mas esse é o momento em que deixamos todas as outras coisas para essa busca. Se não tivermos prazer na busca do Senhor, não entenderemos o sentido deste salmo.

A ideia de um passarinho encontrar o seu ninho mostra que esse local de busca é um espaço de aconchego, carinho, cuidado, proteção... O passarinho pode até ter problemas com o local escolhido para o ninho, mas já vimos muitos ninhos que permitiram a continuidade da espécie do passarinho. E se você não viu, basta olhar para o céu! Muitas vezes em fios de alta tensão, outras nos muros ou em cima de casas... Se os ninhos não fossem locais seguros, não veríamos mais passarinhos por aí!

A certeza do cuidado, nos faz sentir a presença do Senhor! Essa deve ser a nossa maior busca: sentir Sua presença, pois assim estaremos fugindo do pecado e vivendo o plano Dele para nossa vida. Isso fará com que sintamos que os caminhos complicados que temos que percorrer pareçam acertados, aplainados, mostrando que a dificuldade é contornada pelo cuidado do Senhor.

A verdadeira felicidade é encontrada em encontrar o Senhor, em sentir o cuidado Dele. Afinal, podemos contar com o apoio, a direção e o sustento da parte Dele. Há algo melhor que viver debaixo da vontade do Senhor? Devemos deixar nossa vontade, nossa firmeza e aparente estabilidade e dar o passo em direção à vontade do Senhor. E mesmo que pareça estranho num primeiro momento, vemos nesse salmo que não será ruim. Logo teremos paz e confiança, aconchego e força, direção e cuidado, e poderemos seguir em frente, com uma firmeza maior que a que parecia boa e estabelecida, mas que sem o Senhor não é nada!

 

Forte abraço.
Em Cristo,
Ricardo, pastor

Esta meditação foi enviada em 24/07/08 por e-mail.