Separar pela paz

12/06/2008

 

Buscafé

Gênesis 13

O crescimento dos rebanhos de Abrão e Ló levaram à falta de pasto e à falta de paciência. Os pastores de ambos estavam a ponto de usar seus cajados uns nos outros ao invés de no rebanho.

O que Abrão e Ló fariam? Diálogos às vezes carregam sementes de conflito. As pessoas buscam poder e se recusam a ouvir. Motivações, objetivos e terras se tornam palanques para nos defendermos.

Abrão era mais velho, e ele era o tio. Naquela cultura ele poderia ter usado da sua posição, deixado Ló de lado, e o mandado embora. Mas em um momento de sabedoria Abrão se recusou a plantar a semente do conflito. Ele permitiu que Ló escolhesse primeiro, e os dois se separaram para que mantivessem a paz. Abrão começou a conversa não tratando Ló como um concorrente e não apenas como um parente, mas como um irmão; manteve a conversa nos limites do amor e carinho familiar.

Para atenuar situações “explosivas” devemos olhar para as pessoas envolvidas como seres humanos e não como pessoas que querem tirar vantagens ou se aproveitar de nós. Abrão não estava apenas estendendo o dom da paz, ele também estava estendendo a bênção dada por Deus. E Deus respondeu reafirmando sua promessa anterior de dar a Abrão toda a terra que Ló havia escolhido para si.

 

Forte abraço.
Em Cristo,
Ricardo, pastor

 

Esta meditação foi enviada em 12/06/08 por e-mail.