Salmo 74

27/03/2008

 

Lamento por causa da profanação
Salmo didático de Asafe

1 Ó Deus, por que nos rejeitaste para sempre? Por que se acende a tua ira contra o rebanho do teu pasto?
2 Lembra-te da tua congregação, que compraste desde a antiguidade, que remiste para ser a tribo da tua herança, e do monte Sião, em que tens habitado.
3 Dirige os teus passos para as perpétuas ruínas, para todo o mal que o inimigo tem feito no santuário.
4 Os teus inimigos bramam no meio da tua assembléia; põem nela as suas insígnias por sinais.
5 A entrada superior cortaram com machados a grade de madeira.
6 Eis que toda obra entalhada, eles a despedaçaram a machados e martelos.
7 Lançaram fogo ao teu santuário; profanaram, derrubando-a até o chão, a morada do teu nome.
8 Disseram no seu coração: Despojemo-la duma vez. Queimaram todas as sinagogas de Deus na terra.
9 Não vemos mais as nossas insígnias, não há mais profeta; nem há entre nós alguém que saiba até quando isto durará.
10 Até quando, ó Deus, o adversário afrontará? O inimigo ultrajará o teu nome para sempre?
11 Por que reténs a tua mão, sim, a tua destra? Tira-a do teu seio e consome-os.
12 Todavia, Deus é o meu Rei desde a antiguidade, operando a salvação no meio da terra.
13 Tu dividiste o mar pela tua força; esmigalhaste a cabeça dos monstros marinhos sobre as águas.
14 Tu esmagaste as cabeças do leviatã, e o deste por mantimento aos habitantes do deserto.
15 Tu abriste fontes e ribeiros; tu secaste os rios perenes.
16 Teu é o dia e tua é a noite: tu preparaste a luz e o sol.
17 Tu estabeleceste todos os limites da terra; verão e inverno, tu os fizeste.
18 Lembra-te disto: que o inimigo te afrontou, ó Senhor, e que um povo insensato ultrajou o teu nome.
19 Não entregues às feras a alma da tua rola; não te esqueça para sempre da vida dos teus aflitos.
20 Atenta para o teu pacto, pois os lugares tenebrosos da terra estão cheios das moradas de violência.
21 Não volte envergonhado o oprimido; louvem o teu nome o aflito e o necessitado.
22 Levanta-te, ó Deus, pleiteia a tua própria causa; lembra-te da afronta que o insensato te faz continuamente.
23 Não te esqueças da gritaria dos teus adversários; o tumulto daqueles que se levantam contra ti sobe continuamente.


Este salmo é atribuído a Asafe. Tudo indica que este salmo seja um lamento por conta da destruição do templo, em 586 a. C.

O salmista chega a imaginar que a causa de tal destruição pode ser a ausência de Deus, o abandono do Senhor, que teria deixado o povo que resgatara no Egito muitos anos antes. Essa inquietação do salmista não revela rebeldia ou questionamento. Na verdade, ele sabe bem o que aconteceu para que tal evento tivesse lugar: o Senhor não abandonou exatamente o povo. Estava disciplinando por conta do abandono do povo em relação à Sua vontade.

O lamento mostra uma minuciosa oração. Altamente específica, o que nos mostra que precisamos ter isso em mente na hora de orar: não devemos orar apenas genericamente, mas precisamos ser bem objetivos e específicos em nossas orações. Ser objetivo não quer dizer necessariamente fazer orações curtas, mas ser direto no assunto da oração, ainda que demande a necessidade de muitas palavras.

No momento de um lamento, vemos claramente a crise por ter a impressão da ausência de Deus, de Suas respostas. A crise maior é caracterizada, claro, por conta da destruição do templo, o que não afetava apenas a vida cúltica do povo. O templo também exercia poder político, acontecia o culto, as atividades dos rituais judaicos, mas era a representação máxima da fé do povo! Sem ele, era como se a tentativa fosse de atacar a fé do povo!

A esperança do salmista é que o cuidado do Senhor, que já se manifestou no passado, volte a ser realidade. Muitas vezes, quando passamos por problemas, esquecemos que o Senhor já agiu no passado e damos só atenção ao problema. Mas precisamos exercitar a memória. Lembrar o que o Senhor já fez. E precisamos exercitar a fé. Mesmo que não pareça que veremos solução, temos que acreditar que o Senhor pode agir. E que vai agir! Mesmo que não seja exatamente do jeito que achamos melhor, mas Ele vai agir. E fará o melhor.

Acredite no agir do Senhor. Não olhe para os problemas para se chatear! Não dê ênfase aos mesmos apenas. Creia e enfrente o problema. Saiba que o Senhor tem o melhor para você, mesmo na pior adversidade! Apenas busque-O. E saiba que Ele fará o melhor.

 

Forte abraço.
Em Cristo,
Ricardo, pastor

Esta meditação foi enviada em 27/03/08 por e-mail.