Salmo 72

13/03/2008

 

O rei justo e o seu reinado eterno
Salmo de Salomão

1 Ó Deus, dá ao rei os teus juízos, e a tua justiça ao filho do rei.
2 Julgue ele o teu povo com justiça, e os teus pobres com equidade.
3 Que os montes tragam paz ao povo, como também os outeiros, com justiça.
4 Julgue ele os aflitos do povo, salve os filhos do necessitado e esmague o opressor.
5 Viva ele enquanto existir o sol e enquanto durar a lua, por todas as gerações.
6 Desça como a chuva sobre o prado, como os chuveiros que regam a terra.
7 Nos seus dias floresça a justiça e haja abundância de paz enquanto durar a lua.
8 Domine de mar a mar, e desde o Rio até as extremidades da terra.
9 Inclinem-se diante dele os seus adversários, e os seus inimigos lambam o pó.
10 Paguem-lhe tributo os reis de Társis e das ilhas; os reis de Sabá e de Seba ofereçam-lhe dons.
11 Todos os reis se prostrem perante ele; todas as nações o sirvam.
12 Porque ele livra ao necessitado quando clama, como também ao aflito e ao que não tem quem o ajude.
13 Compadece-se do pobre e do necessitado, e a vida dos necessitados ele salva.
14 Ele os liberta da opressão e da violência, e precioso aos seus olhos é o sangue deles.
15 Viva, pois, ele; e se lhe dê do ouro de Sabá; e continuamente se faça por ele oração, e o bendigam em todo o tempo.
16 Haja abundância de trigo na terra sobre os cumes dos montes; ondule o seu fruto como o Líbano, e das cidades floresçam homens como a erva da terra.
17 Permaneça o seu nome eternamente; continue a sua fama enquanto o sol durar, e os homens sejam abençoados nele; todas as nações o chamem bem-aventurado.
18 Bendito seja o Senhor Deus, o Deus de Israel, o único que faz maravilhas.
19 Bendito seja para sempre o seu nome glorioso, e encha-se da sua glória toda a terra. Amém e amém.
20 Findam aqui as orações de Davi, filho de Jessé.


Este salmo é atribuído a Salomão. Apesar do final dar conta de ser o final das orações de Davi, tudo indica que na verdade é um salmo de Davi, mas escrito como oração por seu filho como rei. Assim, como no mundo antigo a questão de direitos autorais era diferente de hoje, o salmo pode ter sido escrito por Davi, mas como foi feito como oração por Salomão, este último é reconhecido como autor.

A oração de Davi mostra a esperança de que o reinado confirmado através de seu filho seja como o Senhor revelara: sempre existente! Que de sua descendência sempre houvesse rei, e assim foi, afinal sabemos que Jesus é o Rei dos reis e é da descendência, historicamente falando, de Davi.

O salmo mostra claramente sua confiança de que o Senhor cuidará de todas as coisas. Espera que o rei seja grandemente abençoado. É claro que o salmo aponta para o reinado eterno de Cristo, não podemos descuidar disso. Mas a esperança de Davi era que em sua descendência o reinado permanecesse (o que acontece em Jesus). E o primeiro, foi Salomão.

Essa confiança clara na manifestação do Senhor leva o salmista a declarar calmamente a sua certeza: o cuidado do Senhor será real e o rei (ou o Rei, quando pensamos em Jesus) será alguém com grande amor e cuidado pelo povo.

Nossa capacidade humana de pensar em o que será o reinado eterno do Senhor Jesus não alcança o que de fato será. As palavras desse salmo podem expressar muitas coisas, mas sabemos que será sempre mais do que podemos imaginar. É por esse reinado que esperamos, é como quem já vive isso que trilhamos neste mundo, ainda com limitações. Mas Davi creu na promessa do Senhor e sabemos que a mesma foi realidade (e logo se confirmará): o descendente de Davi estará no trono. Já está, sabemos disso, mas logo a batalha final será travada, permitindo o reinado definitivo. Nós devemos crer também: ainda que com limitações (por conta de muitas dificuldades que enfrentamos), podemos acreditar que o Senhor já está cumprindo a promessa de cuidar de nós eternamente desde já! E crendo nisso, podemos anunciar esse cuidado e viver sentindo isso. Anunciemos!

 

Forte abraço.
Em Cristo,
Ricardo, pastor

Esta meditação foi enviada em 13/03/08 por e-mail.