O Senhor alegra e fortalece!

04/03/2008

 

Esdras 6.16-22

16 E os filhos de Israel, os sacerdotes e os levitas, e o resto dos filhos do cativeiro fizeram a dedicação desta casa de Deus com alegria.
17 Ofereceram para a dedicação desta casa de Deus cem novilhos, duzentos carneiros e quatrocentos cordeiros; e como oferta pelo pecado por todo o Israel, doze bodes, segundo o número das tribos de Israel.
18 E puseram os sacerdotes nas suas divisões e os levitas nas suas turmas, para o serviço de Deus em Jerusalém, conforme o que está escrito no livro de Moisés.
19 E os que vieram do cativeiro celebraram a páscoa no dia catorze do primeiro mês.
20 Pois os sacerdotes e levitas se tinham purificado como se fossem um só homem; todos estavam limpos. E imolaram o cordeiro da páscoa para todos os filhos do cativeiro, e para seus irmãos, os sacerdotes, e para si mesmos.
21 Assim, comeram a páscoa os filhos de Israel que tinham voltado do cativeiro, com todos os que, unindo-se a eles, se apartaram da imundícia das nações da terra para buscarem o Senhor, Deus de Israel;
22 e celebraram a festa dos pães asmos por sete dias com alegria; porque o Senhor os tinha alegrado, tendo mudado o coração do rei da Assíria a favor deles, para lhes fortalecer as mãos na obra da casa de Deus, o Deus de Israel.


Hoje, damos ênfase no versículo 22: e celebraram a festa dos pães asmos por sete dias com alegria; porque o Senhor os tinha alegrado, tendo mudado o coração do rei da Assíria a favor deles, para lhes fortalecer as mãos na obra da casa de Deus, o Deus de Israel.

Temos dois pontos para destacar nesse texto:

1) O Senhor alegrou o povo! Depois de observar uma série de coisas, realizar algumas outras, o povo sentiu alegria em seu coração. Acredito que ainda havia muito o que fazer, muitas coisas para colocar em ordem! Ainda assim, depois de buscar a vontade do Senhor, o povo sentiu alegria e celebrou ao Senhor. Não fizeram apenas por ordem, por costume. Havia, é claro, essa dimensão da ordenança, mas o povo celebrou com alegria!

Dessa forma, podemos notar que se buscarmos a vontade do Senhor, ainda que tenhamos algo para realizar porque devemos realizar, o faremos muito mais por conta da alegria do que porque é necessário. É assim que o Senhor nos chama para o trabalho: com alegria em realizar. Não porque temos, mas porque queremos! Porque nos faz bem, nos sentimos alegres em realizar a obra.

2) O Senhor fortaleceu o povo para o trabalho! A alegria que o povo sentiu, gerou força suficiente para o trabalho. Ainda poderia haver o que acertar diante das coisas que estavam ao redor. Mas ainda assim, o povo teve alegria que nasceu no coração por buscar a vontade do Senhor. Isso já deu força suficiente para enfrentar qualquer outra dificuldade.

Da mesma forma será conosco: Buscando a vontade do Senhor, a alegria será tão grande que teremos força o suficiente para enfrentar as dificuldades e barreiras, realizando a cada momento a vontade do Senhor. Trabalhando na obra. Afinal, independente de onde estivermos, devemos ser luz, testemunhando o Evangelho. Assim, estaremos sempre trabalhando na obra do Senhor, por onde quer que andemos.

Alegria e força para o trabalho. Buscando a vontade do Senhor e deixando o caminho errado, teremos isso cada vez mais. Aí, será apenas necessário deixar o Espírito operar em nós e através de nós, para realizarmos a vontade do Senhor e trabalharmos na obra do Senhor!

 

Forte abraço.
Em Cristo,
Ricardo, pastor

Esta meditação foi enviada em 04/03/08 por e-mail.