Salmo 69

21/02/2008

 

O lamento do Messias
Ao mestre de canto. Segundo a melodia
"Os lírios". De Davi

1 Salva-me, ó Deus, pois as águas me sobem até o pescoço.
2 Atolei-me em profundo lamaçal, onde não se pode firmar o pé; entrei na profundeza das águas, onde a corrente me submerge.
3 Estou cansado de clamar; secou-se-me a garganta; os meus olhos desfalecem de esperar por meu Deus.
4 Aqueles que me odeiam sem causa são mais do que os cabelos da minha cabeça; poderosos são aqueles que procuram destruir-me, que me atacam com mentiras; por isso, tenho de restituir o que não extorqui.
5 Tu, ó Deus, bem conheces a minha estultícia, e as minhas culpas não são ocultas.
6 Não sejam envergonhados por minha causa aqueles que esperam em ti, ó Senhor, Deus dos exércitos; não sejam confundidos por minha causa aqueles que te buscam, ó Deus de Israel.
7 Porque por amor de ti tenho suportado afrontas; a confusão me cobriu o rosto.
8 Tornei-me como um estranho para os meus irmãos, e um desconhecido para os filhos de minha mãe.
9 Pois o zelo da tua casa me devorou, e as afrontas dos que te afrontam caíram sobre mim.
10 Quando chorei e castiguei com jejum a minha alma, isto se me tornou em afrontas.
11 Quando me vesti de pano de saco, fiz-me para eles um provérbio.
12 Aqueles que se sentam à porta falam de mim; e sou objeto das cantigas dos bêbedos.
13 Eu, porém, faço a minha oração a ti, ó Senhor, em tempo aceitável; ouve-me, ó Deus, segundo a grandeza da tua benignidade, segundo a fidelidade da tua salvação.
14 Tira-me do lamaçal, e não me deixes afundar; seja eu salvo dos meus inimigos, e das profundezas das águas.
15 Não me submerja a corrente das águas e não me trague o abismo, nem cerre a cova a sua boca sobre mim.
16 Ouve-me, Senhor, pois grande é a tua benignidade; volta-te para mim segundo a tua muitíssima compaixão.
17 Não escondas o teu rosto do teu servo; ouve-me depressa, pois estou angustiado.
18 Aproxima-te da minha alma e redime-a; resgata-me por causa dos meus inimigos.
19 Tu conheces o meu opróbrio, a minha vergonha, e a minha ignomínia; diante de ti estão todos os meus adversários.
20 Afrontas quebrantaram-me o coração, e estou debilitado. Esperei por alguém que tivesse compaixão, mas não houve nenhum; e por consoladores, mas não os achei.
21 Deram-me fel por mantimento, e na minha sede me deram a beber vinagre.
22 Torne-se a sua mesa diante deles em laço, e sejam-lhes as suas ofertas pacíficas uma armadilha.
23 Obscureçam-se-lhes os olhos, para que não vejam, e faze com que os seus lombos tremam constantemente.
24 Derrama sobre eles a tua indignação, e apanhe-os o ardor da tua ira.
25 Fique desolada a sua habitação, e não haja quem habite nas suas tendas.
26 Pois perseguem a quem afligiste, e aumentam a dor daqueles a quem feriste.
27 Acrescenta iniquidade à iniquidade deles, e não encontrem eles absolvição na tua justiça.
28 Sejam riscados do livro da vida, e não sejam inscritos com os justos.
29 Eu, porém, estou aflito e triste; a tua salvação, ó Deus, me ponha num alto retiro.
30 Louvarei o nome de Deus com um cântico, e engrandecê-lo-ei com ação de graças.
31 Isto será mais agradável ao Senhor do que um boi, ou um novilho que tem pontas e unhas.
32 Vejam isto os mansos e se alegrem; vós que buscais a Deus reviva o vosso coração.
33 Porque o Senhor ouve os necessitados, e não despreza os seus, embora sejam prisioneiros.
34 Louvem-no os céus e a terra, os mares e tudo quanto neles se move.
35 Porque Deus salvará a Sião e edificará as cidades de Judá; ali habitarão os seus servos e a possuirão.
36 E herdá-la-á a descendência de seus servos, e os que amam o seu nome habitarão nela.


Este é mais um salmo atribuído a Davi.

Vemos Davi preocupado e sofrendo. Não porque tenha cometido um pecado específico. Fica claro no texto que ele sofre angústias e perseguições por conta de injustiças. Ele não deixa de citar que sabe que é pecador, mas que sabe que aquela situação específica que ele está passando é por questão de injustiça. Muitas vezes isso acontece: passamos por dificuldades e pensamos que acontece por conta de pecados. Mas nem sempre é assim! Pode ser por conta de um pecado, mas pode ser tratamento de Deus, querendo nos moldar para fazermos algo no futuro, pode ser o desejo de Deus de nos usar como exemplo para outras pessoas ou até mesmo podemos enfrentar as situações descritas neste salmo: sofrer por injustiça de outras pessoas.

Além de notarmos o que Davi passou, por exemplo, quando fugiu de Jerusalém por conta da rebelião de seu filho, Absalão (ele sofreu naquela situação injustamente, ainda que tenha cometido erros no passado), podemos notar o que pode acontece conosco e vemos ainda o que Jesus passou! Afinal, Ele sofreu por nossos pecados, Ele não tinha pecado. Ele sofreu injustiça para que pudéssemos ser justificados. Nós deveríamos enfrentar o que Ele enfrentou, mas Ele o fez em nosso lugar. Por Graça, somos alcançados com a justificação, pela fé!

Todo o salmo gira em torno disso: a certeza que somos pecadores, mas que algumas vezes enfrentamos situações ruins não por conta de pecados específicos, mas por injustiças. Só que a certeza que podemos confiar no Senhor para nos justificar e nos dar vitória, nos leva a fazer o que o final do salmo declara: louvar ao Senhor. Por fé podemos ver o que o Senhor tem para fazer. Podemos observar ao nosso redor e só verificar situações complicadas. Mas por fé podemos ver a vitória que vem do Senhor. E no meio das complicações, podemos contar com a força e a direção do Senhor, se realizarmos Sua vontade, claro. Dessa forma, mesmo no meio da angústia, podemos louvar, pois ou esperamos a libertação da dificuldade ou já teremos a certeza do cuidado do Senhor mesmo no meio da angústia!

 

Forte abraço.
Em Cristo,
Ricardo, pastor

Esta meditação foi enviada em 21/02/08 por e-mail.