Purificação

19/02/2008

 

Esdras 6.16-22

16 E os filhos de Israel, os sacerdotes e os levitas, e o resto dos filhos do cativeiro fizeram a dedicação desta casa de Deus com alegria.
17 Ofereceram para a dedicação desta casa de Deus cem novilhos, duzentos carneiros e quatrocentos cordeiros; e como oferta pelo pecado por todo o Israel, doze bodes, segundo o número das tribos de Israel.
18 E puseram os sacerdotes nas suas divisões e os levitas nas suas turmas, para o serviço de Deus em Jerusalém, conforme o que está escrito no livro de Moisés.
19 E os que vieram do cativeiro celebraram a páscoa no dia catorze do primeiro mês.
20 Pois os sacerdotes e levitas se tinham purificado como se fossem um só homem; todos estavam limpos. E imolaram o cordeiro da páscoa para todos os filhos do cativeiro, e para seus irmãos, os sacerdotes, e para si mesmos.
21 Assim, comeram a páscoa os filhos de Israel que tinham voltado do cativeiro, com todos os que, unindo-se a eles, se apartaram da imundícia das nações da terra para buscarem o Senhor, Deus de Israel;
22 e celebraram a festa dos pães asmos por sete dias com alegria; porque o Senhor os tinha alegrado, tendo mudado o coração do rei da Assíria a favor deles, para lhes fortalecer as mãos na obra da casa de Deus, o Deus de Israel.


Hoje, damos ênfase no versículo 20: Pois os sacerdotes e levitas se tinham purificado como se fossem um só homem; todos estavam limpos. E imolaram o cordeiro da páscoa para todos os filhos do cativeiro, e para seus irmãos, os sacerdotes, e para si mesmos.

O que o texto nos mostra é que o povo buscou santidade diante do Senhor, a purificação dos pecados. Não resolveram fazer qualquer coisa diante de Deus. Queriam fazer de acordo com a vontade do Senhor. A preocupação não era em o que ganhariam em fazer aquilo, mas em obedecer ao Senhor. Claro que bênçãos estavam prometidas para tal comportamento, mas a preocupação maior não pode ser esperar a bênção, mas realizar a vontade do Senhor.

Muitas vezes fazemos as coisas para o Senhor observando nossas vontades ou o que achamos certo. Tentamos "dar um jeitinho", buscando a conformidade entre nossas atitudes e o que o Senhor quer. Mas a Palavra não nos chama para isso! Nos chama para obedecer a vontade do Senhor.

Devemos nos aproximar do Senhor como estamos. Não existe a necessidade que muitos pensam de que é necessário primeiro nos acertarmos para nos aproximarmos do Senhor. O povo voltou do Exílio, começou a obra e a busca antes mesmo de acertar todas as coisas! Mas tão logo as coisas estavam em ordem, o acerto foi completado diante de Deus.

Quando nos aproximamos do Senhor, nos aproximamos precisando de cuidado, orientação, apoio, carinho e por aí vai. Não devemos nos preocupar em nos acertar antes, mas tão logo nos aproximemos, o Senhor nos dará a forma como agir, o que devemos fazer e nós precisamos tomar cuidado com o que iremos realizar.

Há dois extremos errados: alguns que querem se aproximar só quando estiverem com as coisas em ordem e outros que acham desculpas as mais diversas para demorar em se acertar com o Senhor. Os dois extremos são perigosos!

Nos aproximamos do Senhor como estamos, mas devemos ter o desejo de buscar mudança de vida de acordo com a vontade Dele. Não devemos explicar nossa situação, mas devemos deixar o Senhor mudar nossa situação e devemos assumir isso como o melhor para nossa vida!

O povo no texto se purificou. Sacerdotes e levitas queriam oferecer o melhor para Deus. Devemos buscar essa purificação, abandonando o erro, o pecado e buscando a vontade do Senhor. Na época do texto, a purificação passava por dias de acerto, sacrifício de animais e algumas atitudes. Hoje, devemos buscar realizar a vontade do Senhor! E o Espírito Santo nos direciona nisso, basta querermos e aceitarmos a orientação, colocando em prática. Buscar santidade, purificação e deixar o erro, o pecado é chamado para todos nós. Não explique sua situação, tentando fazer parecer que é assim mesmo e que não dá para ser diferente. Mude sua situação para agir em conformidade com a Palavra do Senhor.

 

Forte abraço.
Em Cristo,
Ricardo, pastor

Esta meditação foi enviada em 19/02/08 por e-mail.