Salmo 65

24/01/2008

 

Ações de graças pelas bênçãos das searas
Ao mestre de canto. De Davi. Cântico

1 A ti, ó Deus, é devido o louvor em Sião; e a ti se pagará o voto.
2 Ó tu que ouves a oração! A ti virá toda a carne.
3 Prevalecem as iniquidades contra mim; mas as nossas transgressões, tu as perdoarás.
4 Bem-aventurado aquele a quem tu escolhes, e fazes chegar a ti, para habitar em teus átrios! Nós seremos satisfeitos com a bondade da tua casa, do teu santo templo.
5 Com prodígios nos respondes em justiça, ó Deus da nossa salvação, a esperança de todas as extremidades da terra, e do mais remoto mar;
6 tu que pela tua força consolidas os montes, cingido de poder;
7 que aplacas o ruído dos mares, o ruído das suas ondas, e o tumulto dos povos.
8 Os que habitam os confins da terra são tomados de medo à vista dos teus sinais; tu fazes exultar de júbilo as saídas da manhã e da tarde.
9 Tu visitas a terra e a regas; grandemente e enriqueces; o rio de Deus está cheio d'água; tu lhe dás o trigo quando assim a tens preparado;
10 enches d'água os seus sulcos, aplanando-lhes as leivas, amolecendo-a com a chuva, e abençoando as suas novidades.
11 Coroas o ano com a tua bondade, e as tuas veredas destilam gordura;
12 destilam sobre as pastagens do deserto, e os outeiros se cingem de alegria.
13 As pastagens revestem-se de rebanhos, e os vales se cobrem de trigo; por isso eles se regozijam, por isso eles cantam.


Mais um salmo atribuído a Davi.

Logo no início o salmista deixa claro que ao Senhor é devido o louvor e a Ele devemos pagar votos. O que é isso? Quer dizer que devemos fazer promessas, como muitos fazem, para receber alguma coisa?

Posso afirmar sem crise: não é isso! Não devemos nem precisamos fazer promessas. Agora, se falarmos em fazer algo, devemos cumprir! Não existe a necessidade de fazer nenhum voto. Mas se fizermos, temos que cumprir!

Eu sempre gostei de Fórmula 1. No começo de minha caminhada cristã, em dia de corrida pela manhã, eu faltava na Escola Dominical para assistir a corrida! Não me orgulho disso, mas eu fazia. No final do ano de 1993, cheguei a uma conclusão: Estar na igreja era mais importante que assistir a Fórmula 1. Então, defini que não iria mais faltar no trabalho da Igreja para assistir Fórmula 1. Só voltei a assistir uma corrida que aconteceu no horário da Escola Dominical (porque tem corridas em outros horários; são poucas, mas tem), quando consegui gravar a corrida em Vídeo, só depois do ano 2000! Bom... Não posso deixar de registrar que, com isso, não assisti aquela corrida de 1994, na Itália, quando Ayrton Senna da Silva morreu.

Fiz um voto! Não havia a necessidade de definir isso. Eu tinha mesmo que me conscientizar que estar na Igreja era melhor e pronto. Mas firmei um compromisso com o Senhor e cumpri. Pode parecer um exemplo tolo, mas quero deixar claro que isso vale para qualquer área em sua vida: Desde as coisas que parecem mais tolas, até mesmo com aquelas que parecem muito sérias. Você não precisa fazer voto. Mas se fizer, tem que cumprir! (Leia Eclesiastes 5.1-7).

Deixar de cumprir um voto é um pecado. Há outros tantos que podemos cometer em nossa caminhada. Devemos fugir disso, claro, mas podemos a qualquer momento encontrar em nossa caminhada a realidade do pecado. E ele nos separa de Deus! Devemos buscar Nele a purificação e a força para fugirmos do pecado. Em Jesus somos lavados e o Espírito Santo nos guia na vontade do Senhor. Assim, podemos, de fato, ter comunhão com o Senhor e experimentar a certeza de Sua presença conosco e notar claramente o Seu agir em nossa caminhada.

Quando vemos no salmo a ação do Senhor em vários locais e lugares, podemos notar claramente que o salmista tinha consciência que o alcance da manifestação do poder do Senhor não estava limitado para e/ou em Israel. O salmista tinha claro que o agir do Senhor era alcançado no mundo todo! Poderia, naquele momento, dar mais ênfase no cuidado da nação de Israel. Mas era claro que o alcance do cuidado do Senhor não estava limitado a esse povo.
Como Criador e como Aquele que sustenta todas as coisas no mundo, o Senhor cuida de seres humanos e da natureza. Por isso a questão ecológica não deve ser nenhum absurdo para uma pessoa temente a Deus: o ser humano deveria cuidar do jardim e o próprio Deus cuida de Sua criação. A manifestação desse cuidado revela a grandiosidade do Senhor e, claro, a certeza que Ele não está apenas preocupado com os dias que vivemos.

Esse cuidado aponta para a questão da eternidade com Ele. Isso quer dizer que devemos viver de forma correta aqui, realizando a vontade do Senhor e deixando o pecado, cumprindo nossos votos, cuidando deste planeta e aguardar a novidade que ainda teremos na eternidade com o Senhor. Sabemos que teremos novo céu e nova terra. Mas isso não tira de nós a responsabilidade de cuidar deste planeta! Afinal, desde o Jardim do Éden deveríamos cuidar. E cuidar por aqui, entendo, é também ser fiel no pouco, pois sabemos que temos algo melhor que podemos esperar, e ainda assim nos preocupamos em cuidar aqui. Claro que não apenas porque aguardamos o novo de Deus, mas porque queremos cuidar da criação. Não por obrigação ou por medo, mas com alegria no coração! Como em qualquer outra atitude que devemos ter diante do Senhor.

 

Forte abraço.
Em Cristo,
Ricardo, pastor

Esta meditação foi enviada em 24/01/08 por e-mail.