O último roubo

08/11/2007

 

O tribunal da cidade de Saltinho, no México foi, certo dia, agitado pela presença de um homem que queria falar ao juiz alguma coisa séria e urgente. Quando apareceu, o estranho foi logo dizendo:

- Aqui estou como prisioneiro. Aqui estou para pagar minhas culpas. Vim dar minha satisfação à sociedade, a quem tanto mal eu fiz.

- Mas, quem é você? - indagou o magistrado.

- Sou Juan Chaves, o facínora que todos perseguiam.

O juiz estremeceu ao ouvir o nome do temido marginal e, preocupado, perguntou:

- Por que você está apresentando-se à justiça, como prisioneiro, como réu confesso?

Tirando do bolso um exemplar da Bíblia, disse o criminoso serenamente:

- Este Livro me trouxe aqui. Trouxe-me de volta, a fim de que eu possa pagar minha dívida para com a sociedade, exatamente como meu Senhor e Salvador Jesus Cristo pagou todas as minhas dívidas perante Deus.

Aquele bandido, em sua carreira criminosa, pontilhada de assaltos e roubos, um dia, ao assaltar uma residência, levara a Bíblia dentre outros objetos. Como a polícia o procurava persistentemente, o criminoso refugiara-se em uma caverna, onde, não tendo o que fazer, começou a ler o precioso volume, que lhe revelou os seus pecados e o conduziu ao Senhor Jesus Cristo.

 

Forte abraço.
Em Cristo,
Ricardo, pastor

 

Esta meditação foi enviada em 08/11/07 por e-mail.