Salmo 53

25/10/2007

 

A corrupção do pecador e a sua redenção
Ao mestre de canto. Salmo didático
de Davi, para cítara

1 Diz o néscio no seu coração: Não há Deus. Corrompem-se e cometem abominável iniquidade; não há quem faça o bem.
2 Deus olha lá dos céus para os filhos dos homens, para ver se há algum que tenha entendimento, que busque a Deus.
3 Desviaram-se todos, e juntamente se fizeram imundos; não há quem faça o bem, não há sequer um.
4 Acaso, não têm conhecimento os que praticam a iniquidade, os quais comem o meu povo como se comessem pão e não invocam a Deus?
5 Eis que eles se acham em grande pavor onde não há motivo de pavor, porque Deus espalhará os ossos daqueles que se acampam contra ti; tu os confundirás, porque Deus os rejeitou.
6 Oxalá que de Sião viesse a salvação de Israel! Quando Deus fizer voltar os cativos do seu povo, então, se regozijará Jacó e se alegrará Israel.


O salmo 53 é quase uma cópia do salmo 14. Há uma pequena diferença, o salmo 14 tem 1 versículo a mais e há uma pequena diferença entre o versículo 5 de um e de outro. Mas no contexto, de fato o presente salmo é quase uma cópia do salmo 14.

Com essa observação, seguimos com a meditação:

Há tantos anos há quem queria definir que não há Deus! Não é coisa atual. Alguns dizem que filósofos no século passado “mataram” Deus, mas essa tentativa de dizer que não há Deus já é muito mais antiga. 

Acredito que quanto mais o amor se esfria nos corações no correr dos anos, mais há tentativas nesse sentido e, claro, em nossos dias vemos cada vez mais pessoas tentando dizer que não há Deus, tentando provar por “A+B” a realidade que não há Deus. 

Por conta do último versículo do salmo, podemos entender que esse salmo foi escrito durante o exílio, pois o salmista quer a volta para “casa”. Ao menos, o texto foi encerrado nesse período, já que o salmo é creditado a Davi. O povo está enfrentando é a ausência de sua casa, de sua terra, não tendo seu próprio governo e tendo que observar muitas vezes o que os dominadores querem, tanto religiosa como politicamente. Ainda que no Exílio Babilônico isso não tenha sido tão sério (e o povo pôde manter muito de suas tradições mesmo no exílio), o simples fato de estar sob domínio já altera muita coisa. Ainda mais por estar em outra terra, sabendo que sua terra está destruída, que o Templo onde se dedicava tanto orações como sacrifícios ao Senhor não existe e ainda mais pensando que quem pode ter ficado pra trás está enfrentando muitas dificuldades também, mesmo ficando em “casa”, exatamente porque ela está arrasada.

E como escrevi, os babilônicos não obrigavam os seus dominados a negarem sua fé, mas é claro que o povo passou a ter contato com outra cultura religiosa. E como é normal entre seres humanos, os babilônicos questionavam o Deus dos hebreus, que permitiu que eles (babilônicos) fizessem o que fizeram. Se havia Deus, por que não ajudou o povo? O que não se levava e conta é que Deus estava disciplinando o povo e por isso havia permitido tal situação... 

Mas é claro que o povo ouvia por todo canto questionamentos sobre Deus. Aí entendemos o contexto do salmo em questão. Pelo menos, de sua observação final, utilizando possivelmente algo anterior no contexto que o povo vivia na experiência do Exílio.

Será diferente hoje em dia? Não há nem a necessidade de uma dominação política para se questionar a fé de outra pessoa, caso ela esteja passando por dificuldades. Muitos agem como a esposa de Jó, que diante da dificuldade, achou que o marido estava errado em servir ao Senhor (Jó 2.9). Mas, na verdade, o que ela estava em dúvida era se valia a pena servir esse Deus, se realmente havia esse Deus. 

E o que vemos de pessoas desviadas da Verdade, agindo de acordo com a própria consciência, deixando de lado as coisas de Deus em nossos dias, é um grande exagero. Muitos nem acreditam na realidade de que há Deus! E questionam abertamente a fé de quem acredita e serve a esse Deus, até mesmo questionando a ação de Deus, caso a pessoa passe por situações complicadas. E nem sabem que ou Deus permite algo para correção ou no mínimo para que a pessoa possa dar testemunho da ação de Deus! Muitos ainda ficam só no campo da correção, questionando se há necessidade de confessar pecado, e deixam de lado que Deus tem planos que estão além do nosso entendimento... 

Chegará o dia que o Senhor mostrará Seu amor e cuidado. Nesse Dia, quero estar do lado da Verdade. E quero poder, antes da chegada desse Dia, dar testemunho para que outros possam vivenciar comigo a bênção de servir ao Senhor, tanto agora, mesmo que com algumas dificuldades, como no futuro, eternamente com o Senhor, onde toda a lágrima do olhar será enxugada. Longe do Senhor, o sofrimento vai continuar. Com Ele, podemos até enfrentar dificuldades hoje, mas não durarão eternamente. Longe Dele, as dificuldades serão eternas. 

Sirva ao Senhor. Dê testemunho de Sua ação. Não importa a dificuldade! Ele tem resposta e solução para todas as coisas e no tempo certo você verá o agir Dele. Você apenas, não, mas todo olho verá. E nesse Dia será muito melhor ter enfrentado algumas dificuldades e ter permanecido fiel à vontade do Senhor. 

É claro que há Deus! O nosso Deus! E Ele cuida de nós, dando livramento das dificuldades ou ao menos força para que enfrentemos as mesmas e possamos ver a vitória do Senhor no tempo certo. Aleluia!

 

Forte abraço.
Em Cristo,
Ricardo, pastor

Esta meditação foi enviada em 25/10/07 por e-mail.