Salmo 52

18/10/2007

 

Condenação do ímpio
Ao mestre de canto. Salmo didático de Davi,
quando Doegue, edomita, fez saber a Saul que
Davi entrara na casa de Abimeleque

1 Por que te glorias na malícia, ó homem poderoso? Pois a bondade de Deus subsiste em todo o tempo.
2 A tua língua maquina planos de destruição, como uma navalha afiada, ó tu que usas de dolo.
3 Tu amas antes o mal do que o bem, e o mentir do que o falar a verdade.
4 Amas todas as palavras devoradoras, ó língua fraudulenta.
5 Também Deus te esmagará para sempre; arrebatar-te-á e arrancar-te-á da tua habitação, e desarraigar-te-á da terra dos viventes.
6 Os justos o verão e temerão; e se rirão dele, dizendo:
7 Eis aqui o homem que não tomou a Deus por sua fortaleza; antes, confiava na abundância das suas riquezas, e se fortalecia na sua perversidade.
8 Mas eu sou qual oliveira verde na casa de Deus; confio na bondade de Deus para sempre e eternamente.
9 Para sempre te louvarei, porque tu isso fizeste, e proclamarei o teu nome, porque é bom diante de teus santos.



Davi inicia o salmo falando daquele que o teria delatado. Levando em conta a "explicação" antes do salmo (em itálico), que no texto hebraico faz parte do primeiro versículo do salmo, vemos claramente a situação que, tudo indica, motivou esse salmo. E o início do salmo é exatamente questionando a atitude de vida daquele que o delatara. Fala do desejo errado e que o Senhor dará o pagamento por conta de seu desejo errado.

Muitas vezes, as pessoas falam bobagens a nosso respeito. Claro que queremos esclarecer e resolver. Devemos buscar isso! Mas há situações que somos privados dessa tentativa de solução, normalmente porque a pessoa não tem interesse nisso. Muitas vezes nem se acha errada! O caso de Davi com Doegue (e Saul) era algo do tipo. Não teria solução, até porque aquele que delata Davi se acha poderoso, importante (v. 1), e Davi ressalta isso. Logo, não haveria solução, pois essa pessoa não se teria por errada e Davi confia no Senhor para resolver a questão. Sabe que não vai adiantar muito tentar fazer algo. Ele até tentou e fez algumas vezes, falando com Saul, mas os dias mostraram que a solução não seria assim. Com isso, só resta esperar que o Senhor resolva a questão. Devemos agir assim: tentarmos resolver, claro. Mas se não houver forma, devemos confiar que o Senhor no tempo certo dará a solução.

Davi declara que aquele que o delatou tem língua fraudulenta. Na Bíblia vemos alguns textos que falam do cuidado que devemos ter com a língua. Pode abençoar ou amaldiçoar. Não é o que entra que contamina, mas o que sai, maquinado no coração. "Cuidado boquinha com o que fala...". Aquele que fala coisas ruins e erradas é aquele que não tem temor do Senhor. Esse, de acordo com o salmo, está na categoria de ímpio e tem o seu castigo declarado: será esmagado, arrancado da habitação e será desarraigado da terra dos viventes. Parece que vai bem, que é poderoso, mas se sua confiança está na suas posses ou em sua influência pessoal, a derrota é clara e certa!

A confiança tem que ser depositada no Senhor! Quem assim vive, é como árvore plantada, está diante do Senhor, que verá a derrota do ímpio. Essa é a confiança de Davi.

Da mesma forma, devemos depositar nossa confiança no Senhor. Dele vem a resposta certa, a solução para o que aprece sem solução, o cuidado a cada dia. Não devemos temer quem tente contra nossa vida. Como disse Jesus, esses apenas podem matar o corpo. Ainda temos uma eternidade com o Senhor, se depositarmos nosso temor e confiança Nele. As coisas que temos, posições sociais que ocupamos, qualquer coisa, deve ser para facilitar nossa pregação e não atrapalhar. Deve ser empregado para o louvor do Senhor. Nossa confiança não pode estar em nada mundano e social, mas sempre no Senhor!

 

Forte abraço.
Em Cristo,
Ricardo, pastor

Esta meditação foi enviada em 18/10/07 por e-mail.