Salmo 50

04/10/2007

 

A essência do culto a Deus
Salmo de Asafe

1 O Poderoso, o Senhor Deus, fala e convoca a terra desde o nascer do sol até o seu ocaso.
2 Desde Sião, a perfeição da formosura. Deus resplandece.
3 O nosso Deus vem, e não guarda silêncio; diante dele há um fogo devorador e grande tormenta ao seu redor.
4 Ele intima os altos céus e a terra, para o julgamento do seu povo.
5 Congregai os meus santos, aqueles que fizeram comigo um pacto por meio de sacrifícios.
6 Os céus proclamam a justiça dele, pois Deus mesmo é Juiz.
7 Ouve, povo meu, e eu falarei; ouve, ó Israel, e eu testemunharei contra ti. Eu sou Deus, o teu Deus.
8 Não te repreendo pelos teus sacrifícios, pois os teus holocaustos estão de contínuo perante mim.
9 Da tua casa não aceitarei novilho, nem bodes dos teus currais.
10 Porque meu é todo animal da selva e o gado sobre milhares de outeiros.
11 Conheço todas as aves dos montes e tudo o que se move no campo é meu.
12 Se eu tivesse fome, não to diria, pois meu é o mundo e a sua plenitude.
13 Comerei eu carne de touros? Ou beberei sangue de bodes?
14 Oferece a Deus por sacrifício ações de graças e paga ao Altíssimo os teus votos;
15 e invoca-me no dia da angústia; eu te livrarei, e tu me glorificarás.
16 Mas ao ímpio diz Deus: Que fazes tu em recitares os meus estatutos e em tomares o meu pacto na tua boca,
17 visto que aborreces a correção e lanças as minhas palavras para trás de ti?
18 Quando vês um ladrão, tu te comprazes nele; e tens parte com os adúlteros.
19 Soltas a tua boca para o mal e a tua língua trama enganos.
20 Tu te sentas a falar contra teu irmão; difamas o filho de tua mãe.
21 Estas coisas tens feito, e eu me calei; pensavas que na verdade eu era como tu; mas eu te arguirei e tudo te porei à vista.
22 Considerai, pois, isto, vós que vos esqueceis de Deus, para que eu não vos despedace, sem que haja quem vos livre.
23 Aquele que oferece por sacrifício ações de graças me glorifica; e àquele que bem ordena o seu caminho, eu mostrarei a salvação de Deus.



O Senhor não está alheio ao que acontece. Muitos podem achar que Deus não se intromete, outros até que Ele não existe. Mas logo no começo do salmo vemos o salmista declarando que o Senhor fala. Ele se aproxima dos seres humanos. Fala, chama, orienta, cuida.

O Senhor se aproxima de seu povo, no Antigo Testamento, para deixar claro que Ele não se preocupa com os sacrifícios que são apresentados. Aliás, o salmo deixa claro que o Senhor não estava questionando o povo por falta deles! Mas o que o Senhor fala através do salmista é que o Ele não quer simplesmente uma manifestação externa de compromisso com Sua vontade. Ele quer um compromisso completo, humano, maior que atitudes exteriores. Ele quer vida diante do Seu altar, de acordo com Sua vontade.

O salmo não diz que o povo deveria deixar de lado o sacrifício. Mas muito mais que dedicar o sacrifício, o povo precisava viver a vontade do Senhor. Muito mais que uma atitude externa, o Senhor queria intimidade internamente, no coração, em vivência de acordo com Sua vontade.

Assim, o Senhor deixa claro que apenas o sacrifício não importava. Ele deveria ser feito, não como atitude externa, mas como revelação de um compromisso interior com Sua vontade.

A nós, cabe o mesmo: não vai adiantar pregar e cantar, anunciar aos outros ou participar de campanhas ou correntes, trabalhar na obra porque fomos convencidos que temos que fazer tal. Vamos fazer tudo isso! Mas não por estarmos convencidos e sim convertidos ao desejo do Senhor.

A nossa atitude externa não pode ser mecânica, como quem se acostumou a fazer! Precisamos, antes de mais nada, buscar ao Senhor, ter intimidade com Ele, viver Sua vontade. A partir disso, aí sim, nos apresentarmos para as mais variadas tarefas no desempenho dos dons que o Senhor nos deu.

Não queria o Senhor do Seu povo no Antigo Testamento apenas a celebração de festas e sacrifícios como atitude externa, como quem se acostumou a fazer, como quem é obrigado a fazer. Mas Ele queria que o Seu povo fizesse isso de coração, porque queria fazer, porque entendia que era o certo e porque tinha compromisso com o ato, não apenas por fazer.

Da mesma forma nós: O Senhor não quer que estejamos na igreja toda semana porque nos acostumamos a ir. Mas porque temos prazer nisso, queremos conhecer mais do Senhor. Não quer Ele que estejamos orando ou lendo a Bíblia apenas por fazer, mas que façamos com compromisso com Sua vontade. E tantas outras coisas que podemos pensar e elencar que podemos fazer... O Senhor quer que façamos, claro, mas não porque entendemos como certo, mas porque fomos convertidos a esse entendimento, mudamos nossa direção, temos compromisso real e não apenas externo, de atitudes, para os outros notarem. O Senhor conhece os nossos corações e sabe se fazemos algo porque nos acostumamos ou porque estamos realmente envolvidos com aquilo. Ele quer que estejamos envolvidos e não fazendo por fazer.

Claro que alguém que ainda não se converteu de fato ao Senhor poderá ler a Bíblia por ler. Aí, o Senhor saberá de sua situação e irá tocar da forma necessária! Mas quem já conhece ao Senhor, esse deve fazer com compromisso. Se não fizer assim, o Senhor saberá e terá que cumprir com Sua palavra, que deixa claro que Ele não quer apenas sacrifícios, mas muito mais que isso, compromisso.

Em boa parte do salmo, o salmista deixa claro esse compromisso do Senhor em se preocupar com quem faz as coisas apenas por fazer, porque se acostumou, sem ter intimidade com Ele. Deixa claro que Ele vai testemunhar contra (v. 7). Quer dizer que Ele não quer apenas atitudes externas, mas atitudes externas que sejam comprometidas com a verdade no coração, com profundidade, com compromisso com o que faz e não apenas fazendo porque acha certo ou porque se acostumou a fazer.

Mas o salmo vai além: fala sobre o ímpio, sua atitude em violar a vontade do Senhor, sua falta de compromisso com Deus e até mesmo sobre uma tentativa de entendimento que Deus será extremamente benevolente para com todos. Bom... A Graça é para todos, é fato, mas só será realmente dada a quem receber a Cristo como Senhor e buscar, assim, fugir do erro, do pecado, deixando o Espírito Santo guiar sua vida.

No final do salmo, chama o povo a considerar e, claro, a demostrar através de suas atitudes externas o seu compromisso interno com o Senhor. Isso confirma que o Senhor não quer que apenas tenhamos atitudes externas ou internas em relação ao Seu desejo. Ele quer que tenhamos a união disso: que brote do nosso coração, de nosso compromisso, o desejo de fazer. Não que façamos só por fazer ou porque nos acostumamos ou achamos certo. mas porque realmente vivemos aquilo internamente, em nosso compromisso com o Senhor.

Deixe que suas atitudes externas revelem de fato o que vem do seu coração. Se você busca ao Senhor, sei que suas atitudes serão de acordo com Sua vontade. Mas não adianta fazer sem compromisso (e não compromisso como palavra empenhada, mas compromisso com a vontade do Senhor), pois vemos no Evangelho que muitos farão e ouvirão que não são conhecidos do Senhor. E quem acha que não fez, por ter compromisso fez muito mais que imagina e estes serão chamados para a eternidade com o Senhor. De um compromisso real com a vontade do Senhor surge uma atitude real de nossa parte em direção a realizar a vontade do Senhor. Apenas atitudes não agradam ao Senhor. Ele quer compromisso que desemboque em atitude.
 

Forte abraço.
Em Cristo,
Ricardo, pastor

Esta meditação foi enviada em 04/10/07 por e-mail.