Música: Louvai

03/10/2007

 

Apocalipse 18.9-20

9 E os reis da terra, que com ela se prostituíram e viveram em delícias, sobre ela chorarão e prantearão, quando virem a fumaça do seu incêndio;  
10 e, estando de longe por medo do tormento dela, dirão: Ai! Ai da grande cidade, Babilônia, a cidade forte! Pois numa só hora veio o teu julgamento.  
11 E sobre ela choram e lamentam os mercadores da terra; porque ninguém compra mais as suas mercadorias:  
12 mercadorias de ouro, de prata, de pedras preciosas, de pérolas, de linho fino, de púrpura, de seda e de escarlata; e toda espécie de madeira odorífera, e todo objeto de marfim, de madeira preciosíssima, de bronze, de ferro e de mármore;  
13 e canela, especiarias, perfume, mirra e incenso; e vinho, azeite, flor de farinha e trigo; e gado, ovelhas, cavalos e carros; e escravos, e até almas de homens.  
14 Também os frutos que a tua alma cobiçava foram-se de ti; e todas as coisas delicadas e suntuosas se foram de ti e nunca mais se acharão.  
15 Os mercadores destas coisas, que por ela se enriqueceram, ficarão de longe por medo do tormento dela, chorando e lamentando,  
16 dizendo: Ai! Ai da grande cidade, da que estava vestida de linho fino, de púrpura, de escarlata, e adornada com ouro, pedras preciosas e pérolas! porque numa só hora foram assoladas tantas riquezas.  
17 E todo piloto, todo o que navega para qualquer porto, todos os marinheiros e todos os que trabalham no mar se puseram de longe;  
18 e, contemplando a fumaça do incêndio dela, clamavam: Que cidade é semelhante a esta grande cidade?  
19 E lançaram pó sobre as suas cabeças, e clamavam, chorando e lamentando, dizendo: Ai! Ai da grande cidade, na qual todos os que tinham naus no mar se enriqueceram em razão da sua opulência! Porque numa só hora foi assolada.  
20 Exulta sobre ela, ó céu, e vós, santos e apóstolos e profetas; porque Deus vindicou a vossa causa contra ela.


O texto mostra o que João viu logo depois da destruição da Babilônia, da cidade de onde o Anti-Cristo vai governar. As pessoas que admiravam seu poder e sua suntuosidade começam a lamentar. E ainda mais porque a destruição será rápida!

Muitos admiravam a cidade porque fizeram fama ou dinheiro. Outros, por conta de sua beleza.

Mas o que realmente deverá deixar todos os que vierem a fazer parte desse lamento perplexos é uma coisa só: como o local do poder da época da Grande Tribulação, que parecia invencível, investido de poder que parecia Sagrado, que conseguiu acabar com seus inimigos ou estava em fase final de eliminação dos mesmos (já que há ainda um remanescente que será salvo, mas falaremos em outro dia), que conseguiu realizar suas ideias, seus planos, desejos e anseios sem nenhum problema..., enfim, como o local que parecia indestrutível acaba destruído?

Se nem mesmo essa cidade que parecia invencível foi capaz de resistir, é porque a coisa realmente mostra que o fim se aproxima. E aí, só resta lamentar! Durante tanto tempo resistiu e parecia invencível, e agora aparece derrotada.

Talvez depois do lamento, uma nova tentativa: se foi capaz de ser grande, pode se reerguer! Pode novamente alcançar status e voltar a ser grande. Mas isso não será possível. Veremos na semana que vem que essa ruína é definitiva. Agora, quem fizer parte da história naqueles dias e achar que a Babilônia deveria ser mantida, claro que poderá tentar mudar novamente sua sorte. Nós sabemos que não terá jeito. E devemos anunciar! A vitória pertence ao Senhor! Nos alegremos!

Maranata!
 

Forte abraço.
Em Cristo,
Ricardo, pastor

Esta meditação foi enviada em 03/10/07 por e-mail.