Comentário devocional do Apocalipse

26/09/2007

 

Apocalipse 18.1-8

1 Depois destas coisas, vi descer do céu outro anjo, que tinha grande autoridade, e a terra foi iluminada com a sua glória.
2 E ele clamou com voz forte, dizendo: Caiu, caiu a grande Babilônia, e se tornou morada de demônios, e guarida de todo espírito imundo, e guarida de toda ave imunda e detestável.
3 Porque todas as nações têm bebido do vinho da ira da sua prostituição, e os reis da terra se prostituíram com ela; e os mercadores da terra se enriqueceram com a abundância de suas delícias.
4 Ouvi outra voz do céu dizer: Sai dela, povo meu, para que não sejas participante dos sete pecados, e para que não incorras nas suas pragas.
5 Porque os seus pecados se acumularam até o céu, e Deus se lembrou das iniquidades dela.
6 Tornai a dar-lhe como também ela vos tem dado, e retribui-lhe em dobro conforme as suas obras; no cálice em que vos deu de beber, dai-lhe a ela em dobro.
7 Quanto ela se glorificou, e em delícias esteve, tanto lhe dai de tormento e de pranto; pois que ela diz em seu coração: Estou assentada como rainha, e não sou viúva, e de modo algum verei o pranto.
8 Por isso, num mesmo dia virão as suas pragas: a morte, o pranto e a fome; e será consumida no fogo; porque forte é o Senhor Deus que a julga.

Mais um anjo é visto na visão de João. Este mostra autoridade, capacidade para iluminar a terra com sua glória. Um anjo que decreta com sua fala a queda da Babilônia, daquela que era opressora dos que serviam ao Senhor, daqueles que queriam manter fidelidade ao ensinamento da Bíblia. É anunciado o fim dessa cidade, desse poder que comanda e tenta aniquilar quem é contrário e que fez muitos pagarem com a vida por decidirem seguir ao Senhor.

O anjo anuncia com voz forte, potente. Era necessário declarar de forma decisiva o fim desse império, pois ele demonstrou muita força e autoridade. Esse império que se estabelecerá nos últimos 7 anos da humanidade como a conhecemos, antes do final anunciado e do recomeço ao lado do Senhor de quem guarda a Sua vontade, é apresentado nessa visão como derrotado. E já é anunciado no passado: CAIU! Não "cairá", mas já é declarado derrotado.

A repetição da afirmação demonstra, de forma cabal, que o cumprimento da profecia e da visão é certo.

A cidade de onde o poder vai emanar na Grande Tribulação e que parecerá indestrutível em seu "reinado", com poderes absolutos e irrestritos, é derrotada e habitada por toda sorte demônios, espíritos imundos, aves imundas... Quer dizer: a cidade que era desejada e que demonstrava poder, quando do cumprimento dessa visão, será desprezada e rejeitada. Uma mudança radical, anunciando o fim do poderio daquele que achou que poderia alterar o final da História.

"Sai dela, meu povo". A Bíblia toda nos orienta a deixar o caminho errado, a nos afastarmos do pecado. Não seria diferente no último momento! Muitos terão sido arrebatados (crentes espirituais - já escrevemos sobre isso em meditações anteriores sobre este tema), outros tantos terão morrido por conta da perseguição (crente carnais), mas se ainda houver alguém vivo que tenha compromisso com o Senhor, esse terá que deixar a Babilônia para trás! Lembrando sempre que Babilônia não necessariamente é o local físico, geográfico, mas muito mais a representação espiritual da opressora, do local de onde o Anti-Cristo irá manifestar seu poder. Se o local físico e geográfico for o mesmo da Babilônia antiga, ou ali por perto, não é o objetivo principal da revelação, que se preocupa com a questão espiritual. Com atitudes que temos em nossa vida diária, mas que possuem reflexo na realidade espiritual, na eternidade.

Para encerrar, a Babilônia deve receber em dobro o tormento que causou (v. 6). Tanta aflição que ela terá causado, tanta dor e tanto sofrimento... A expectativa do fim é que essa força opressora seja derrotada e tenha que enfrentar as consequências de sua decisão de seguir pelo caminho errado, quando resolveu atender ao apelo do inimigo.

Maranata!
 

Forte abraço.
Em Cristo,
Ricardo, pastor

Esta meditação foi enviada em 26/09/07 por e-mail.