Salmo 48

20/09/2007

 

A cidade de Deus
Cântico. Salmo dos filhos de Corá

1 Grande é o Senhor e mui digno de ser louvado, na cidade do nosso Deus, no seu monte santo.
2 De bela e alta situação, alegria de toda terra é o monte Sião aos lados do norte, a cidade do grande Rei.
3 Nos palácios dela Deus se fez conhecer como alto refúgio.
4 Pois eis que os reis conspiraram; juntos vieram chegando.
5 Viram-na, e então ficaram maravilhados; ficaram assombrados e se apressaram em fugir.
6 Aí se apoderou deles o tremor, sentiram dores como as de uma parturiente.
7 Com um vento oriental quebraste as naus de Társis.
8 Como temos ouvido, assim vimos na cidade do Senhor dos exércitos, na cidade do nosso Deus; Deus a estabelece para sempre.
9 Temos meditado, ó Deus, na tua benignidade no meio do teu templo.
10 Como é o teu nome, ó Deus, assim é o teu louvor até os confins da terra; de retidão está cheia a tua destra.
11 Alegre-se o monte Sião, regozijem-se as filhas de Judá, por causa dos teus juízos.
12 Dai voltas a Sião, ide ao redor dela; contai as suas torres.
13 Notai bem os seus antemuros, percorrei os seus palácios, para que tudo narreis à geração seguinte.
14 Porque este Deus é o nosso Deus para todo o sempre; ele será nosso guia até a morte.

 

Este salmo também é atribuído aos filhos de Corá.

 

Jerusalém era a capital cívica e religiosa da nação e era muito estimada. O povo se orgulhava de sua capital e via o agir do Senhor diante dos inimigos, impedindo que a mesma fosse atingida. Achavam, assim, que a cidade era fortificada o suficiente e que ainda contava com o cuidado do Senhor. Mas o cuidado de Jerusalém  da parte do Senhor não era apenas pela cidade, mas sim pela fidelidade do povo. A busca de santidade e da vontade do Senhor eram o ponto principal para a manifestação desse cuidado.

 

Muitas vezes aguardamos o agir do Senhor por situações periféricas, muitos até defendem que algumas coisas que fazemos podem alegrar ao Senhor e fazer com que Ele nos conceda bênçãos. Não se engane! Qualquer coisa que você faça (dedicação de ofertas, de tempo, ou qualquer outra coisa) é apenas a manifestação externa do que o Senhor realmente espera de cada um de nós! Não vai adiantar estar na igreja, dedicar ofertas ou tempo para os trabalhos, se não nos dedicarmos de coração à vontade do Senhor. O Senhor nos chama para uma vida de santidade, de realização da Sua vontade e o que mais fizermos deverá ser consequência dessa experiência e não vir antes disso!

 

O Salmo em questão, tudo indica, foi escrito como alusão ao cerco da Assíria, por Senaqueribe. Se é assim, vemos a descrição da presença dessa tropas (v. 4) e como foi o final dessa crise, com a fuga dos inimigos (vs. 5 e 6) - vemos essa história em 2 Crônicas 32.21-23.

 

Dessa forma, espiritualmente podemos entender que o cuidado do Senhor se manifesta sobre nós quando buscamos a Sua vontade. Quando o povo clama e se arrepende, a resposta da parte do Senhor se torna real. Na oração de Salomão em 2 Crônicas 6 vemos essa esperança de sua parte! Quando algo ruim acontecer porque o povo deixou os caminhos do Senhor, se este povo se arrepende, a manifestação do Senhor se torna real. O texto de 2 Crônicas 7.14 é a resposta de Deus para Salomão de sua oração registrada no capítulo anterior. Ele responde, quando buscamos Sua vontade.

 

O cuidado do Senhor não se limita ao tempo que passamos nesta vida. Vai além, porque Ele é eterno e nós estaremos eternamente com Ele. Confiados nisso, podemos enfrentar as dificuldades do dia-a-dia e crer que, quando buscamos a vontade do Senhor, teremos resposta da parte Dele e o melhor vai acontecer. Ainda que nos pareça estranho, logo entenderemos que o Senhor faz o melhor mesmo. Podemos confiar e aguardar mesmo a Sua manifestação, quando buscamos a Sua vontade.

 

Forte abraço.
Em Cristo,
Ricardo, pastor

Esta meditação foi enviada em 20/09/07 por e-mail.