Comentário de livro Bíblico: Neemias

17/09/2007




Autoria e Data 
A tradição reconhece Neemias como o autor de seu próprio livro. Mas, como no mundo antigo não existia direitos autorais e quem escrevia dava crédito a quem começava a contar a história ou a quem era o personagem principal dessa história, não temos como ter certeza de tal autoria. Até porque, tudo indica que o livro de Neemias deveria ser, originalmente, parte da obra literária que hoje nós temos em quatro livros, quais sejam, 1 e 2 Crônicas, Esdras e Neemias. Tudo indica que o livro de Esdras é o ponto de partida desses quatro livros, que originalmente eram apenas um, mas que com o passar dos anos, com novas informações que foram acrescentadas, permitiram a existência hoje dos quatro livros separados. Assim, no caso de Neemias, seguimos a tradição, que o coloca como o autor, mas não podemos descuidar dessa informação histórica, que nos permite saber que esse livro, talvez, foi ampliado por Neemias ou por alguém que teve acesso a novas informações e ampliou o livro. Cremos, nesse processo, na direção do Espírito Santo, exatamente porque não importou quantas pessoas colocassem a mão para escrever, com que informações e em que épocas. Isso não permitiu que a unidade da Bíblia fosse alterada, mostrando que o Espírito Santo esteve por trás de tudo.

Dito isso, vamos descrever Neemias: ele aparece em seu papel de copeiro na corte de Artaxerxes. Um copeiro tinha uma posição de grande confiança como conselheiro do rei e a responsabilidade de proteger o rei de envenenamento. Enquanto Neemias, sem dúvida, desfrutava o luxo do palácio, o seu coração estava em Jerusalém, uma pequena cidade nas longínquas fronteiras do império, que fora derribada quando do início do exílio.

A oração, o jejum, a qualidade de liderança, as habilidades organizacionais criativas, a confiança nos planos de Deus e a rápida e decisiva resposta aos problemas qualificavam Neemias como um grande líder e como um grande homem de Deus.

Sobre a data do livro, lembramos que o livro de Neemias formava, possivelmente, uma unidade com Esdras. Muitos estudiosos consideram Esdras como o autor / compilador de Esdras e Neemias, bem como de 1 e 2 Crônicas. Acreditamos pessoalmente que Esdras realmente deu contribuição importante para a elaboração desse primeiro livro, que unia os quatro. Mas a(s) pessoa(s) que tiveram acesso a novas informações e ampliaram esse livro original, deu(deram) conteúdo suficiente para a divisão.

Jerônimo, que traduziu a Bíblia para o latim, honrou Neemias ao dar o seu nome ao livro em que ele aparece como personagem principal. Neemias significa “Consolo do Senhor”.

A história começa no livro de Esdras e se completa em Neemias, o que colabora com a ideia de que os dois livros eram originalmente um. Neemias deixa a Pérsia para realizar a sua primeira missão no vigésimo ano de Artaxerxes I da Pérsia, que reinou de 465 até 424 a. C. (Neemias 2.1). Retorna à Pérsia no trigésimo segundo ano de reinado de Artaxerxes (Neemias 13.6) e volta novamente para Jerusalém “ao cabo de certo tempo”.

Pelo conteúdo do livro, podemos imaginar que a obra pode ter sido somente finalizada em sua forma original, algum tempo depois da volta de Neemias da Pérsia para Jerusalém.

O problema histórico de definir a data da redação final de Neemias nos faz ficar sem uma data. Sabemos que foi antes da tradução da Septuaginta (ou LXX – o Antigo Testamento para o Grego). 
 
O livro
Neemias expressa o lado prático, a vivência diária da nossa fé em Deus. Esdras havia conduzido o povo a uma renovação espiritual, enquanto Neemias era quem desafiava o povo a mostrar a sua fé por meio das obras.

A primeira seção do livro (capítulos 1-7) fala sobre a construção do muro. Era necessário para que Judá e Benjamim continuassem a existir como nação. Durante o período da construção dos muros, os envolvidos em tal evento, guiados por esse líder dinâmico, venceram a preguiça (4.6), zombaria (2.20), conspiração (3.9) e ameaças de agressão física (4.17).

A segunda seção do livro (8-10) é dirigida ao povo que vivia dentro dos muros. A aliança foi renovada. Os inimigos que moravam na cidade foram expostos e tratados com muita dureza.

Na última seção (11-13), o povo é restaurado à obediência da Palavra de Deus, enquanto Neemias, o leigo, trabalha junto com Esdras, o profeta. Como governador durante esse período, Neemias usou a influência do seu cargo para apoiar a Esdras a exercer uma liderança espiritual.

Esboço de Neemias
I. Neemias: do exílio à reconstrução das muralhas de Jerusalém 1.1 - 7.73
  Autorização de Artaxerxes para reconstruir as muralhas 1.1 - 2.8
  Planejando o trabalho, motivando e organizando os trabalhos 2.9 - 3.32
  Oposição e defesa 4.1-23
  Medidas contra a usura – Neemias se apresenta como exemplo 5.1-19
  As muralhas são completadas apesar das intrigas maldosas 6.1 - 7.3
  Restabelecimento dos cidadãos de Jerusalém 7.3-73
 
II. Esdras e Neemias trabalham juntos para estabelecer o povo 8.1 - 10.39
  Lendo a Lei 8.1-12
  Celebração da Festa dos Tabernáculos 8.13-18
  Confissão de pecado pessoal e coletivo 9.1-37
  Compromisso de guardar a lei e manter o templo 9.38 - 10.39

III. Verdadeiro arrependimento produz justificação 11.1 - 12.26
  Relação dos habitantes 11.1 - 12.26
  Dedicação das muralhas e provisão para as finanças do templo 12.27 - 13.3
  Segundo período de governo de Neemias, incluindo reformas posteriores e uma oração final 13.4-31
 

Forte abraço.
Em Cristo,
Ricardo, pastor

Esta meditação foi enviada em 17/09/07 por e-mail.