Comentário de livro Bíblico: 2 Samuel

06/08/2007


Autoria e Data
Não temos dúvida de que Samuel registrou boa parte da história de Israel no seu período, dando origem aos dois livros com seu nome. No entanto, outros materiais haviam sido colecionados e puderam ser usado como fontes pelo autor real, quando da compilação do texto. Três dessas fontes são mencionadas em 1 Crônicas 29.29, a saber: as “crônicas de Samuel, o vidente”, as “crônicas do profeta Natã” e as “crônicas de Gade, o vidente”. Tanto Gade como Abiatar tinham acesso aos eventos da corte do reino de Davi, de forma que ambos podem ter auxiliado a completar a obra iniciada por Samuel, tanto escrevendo como contanto os eventos para alguém que posteriormente registrou como sendo de autoria de Samuel, que iniciou o processo dos dois livros. Há uma grande chance que os dois livros fossem um, inicialmente, mas logo aconteceu a divisão em duas obras.
 
A compilação final do texto deve ser de uma data posterior à divisão do reino em duas partes, divisão que aconteceu logo depois do governo de Salomão, em 931 a. C., pois vemos em 1 Samuel 27.6 “pelo que Ziclague pertence aos reis de Judá, até ao dia de hoje”. Embora, com frequência, fosse traçada uma diferenciação entre Israel e Judá, e embora Davi tenha reinado em Judá por sete anos e meio antes da unificação do reino, não havia reis em Judá antes desta data. Assim, como existe essa referência que pode ser localizada historicamente, podemos entender que o texto recebeu forma final após a divisão em dois reinos. Mas o texto começa, sem dúvida, com Samuel.
  
O livro
2 Samuel trata da definição do início do reinado de Davi e dos quarenta anos que ele permaneceu reinando. Logo, é um livro personalista.

Começa com a morte de Saul e Jônatas na batalha do monte Gilboa. Davi é, então, aclamado rei sobre Judá, sua própria tribo. Há um jogo de poder travado pela casa de Saul entre Isbosete, filho de Saul e Abner comandante-chefe dos exércitos de Saul. Embora a rebelião tenha sido sufocada, esse relato sumário descreve os sete anos e meio anteriores à unificação do reino por Davi. “E houve uma longa guerra entre a casa de Saul e a casa de Davi; porém Davi se ia fortalecendo, mas os da casa de Saul se iam enfraquecendo” (3.1).
Davi unifica tanto a vida religiosa quanto política da nação ao trazer a Arca da Aliança da casa de Abinadabe, onde havia estado deste que fora recuperada dos filisteus (6.1-7.1).

O tema do Rei vindouro, o Messias, é introduzido quando Deus estabelece uma aliança perpétua com Davi e seu reino. “Teu trono será firme para sempre” (7.16).

Davi derrota com sucesso os inimigos de Israel, e inicia-se um período de estabilidade e prosperidade.

Mas, diante da sua vulnerabilidade e fraqueza, acaba caminhando em direção ao pecado, no adultério com Bate-Seba e no assassinato de Urias, esposo dela. Apesar do arrependimento de Davi depois de confrontado com o profeta Natã, as consequências da sua ação são declaradas com todas as letras: “Agora, pois, não se apartará a espada jamais de tua casa” (12.10).

Como pai, não agiu da melhor forma, tendo que amargar incesto e assassinato em família e a ausência de Absalão, que depois de uma longa separação de seu pai, instiga uma rebelião contra o rei, e Davi foge de Jerusalém. A rebelião termina quando Absalão, pendurado numa árvore pelos cabelos, é morto por Joabe.

Há uma desavença entre Israel e Judá a respeito da volta do rei para Jerusalém. Um rebelde chamado Seba instiga Israel a abandonar Davi e a voltar para casa. Embora Davi tome uma série de decisões desafortunadas e pouco sábias, a rebelião é sufocada, e Davi é mais uma vez estabelecido em Jerusalém.

O livro termina com dois belos poemas, uma lista dos valentes de Davi e com o pecado de Davi em fazer o censo dos homens de guerra de Israel. Davi se arrepende, compra a eira de Araúna e apresenta oferendas ao Senhor no altar que constrói.
 
Esboço de 2º Samuel 
I. Os triunfos de Davi 1.1 - 10.19
  Os triunfos políticos de Davi 1.1 - 5.25
    1) O reino de Davi em Hebrom 1.1 - 4.12
    2) O reino de Davi em Jerusalém 5.1-25
  Os triunfos espirituais de Davi 6.1 - 7.29
    1) Mudando a arca 6.1-23
    2) Aliança de Deus com Davi 7.1-29
  Os triunfos militares de Davi 8.1 - 10.19
    1) Triunfos sobre os seus inimigos 8.1-12
    2) O governo Justo de Davi 8.13 - 9.13
    3) Triunfos sobre Ámom é Síria 10.1-19
  
II. As transgressões de Davi 11.1-27
  O pecado do adultério 11.1-5
  O pecado do Assassinato 11.6-27
    1) Lealdade de Urias a Davi 11.6-13
    2) Ordem de Davi para assassinar Urias 11.14-25
    3) Casamento de Davi com Bate-Seba 11.26,27
  
III. Os problemas de Davi 12.1 - 24.25
  Problemas na casa de Davi 12.1-13.36
    1) Profecia de Natã 12.1-14
    2) Morte do filho de Davi 12.15-25
    3) Lealdade de Joabe a Davi 12.26-31
    4) Incesto na casa de Davi 13.1-20
    5) Absalão mata Amom 13.21-36
  Problemas no reino de Davi 13.37 - 24.25
     1) Rebelião de Absalão 13.37 - 17.29
    2) Joabe mata Absalão 18.1-33
    3) Restauração de Davi como rei 19.1 - 20.26
    4) Comentários sobre o reino de Davi 21.1 - 24.25

 

Forte abraço.
Em Cristo,
Ricardo, pastor

Esta meditação foi enviada em 06/08/07 por e-mail.