Salmo 39

05/07/2007


A vaidade da vida
Ao mestre de canto, Jedutum.
Salmo de Davi

1 Disse eu: Guardarei os meus caminhos para não pecar com a minha língua; guardarei a minha boca com uma mordaça, enquanto o ímpio estiver diante de mim.
2 Com silêncio fiquei qual um mudo; calava-me mesmo acerca do bem; mas a minha dor se agravou.
3 Acendeu-se dentro de mim o meu coração; enquanto eu meditava, acendeu-se o fogo; então, disse eu com a minha língua:
4 Faze-me conhecer, ó Senhor, o meu fim, e qual a medida dos meus dias, para que eu saiba quão frágil sou.
5 Eis que mediste os meus dias a palmos; o tempo da minha vida é como que nada diante de ti. Na verdade, todo homem, por mais firme que esteja, é totalmente vaidade.
6 Na verdade, todo homem anda qual uma sombra; na verdade, em vão se inquieta, amontoa riquezas e não sabe quem as levará.
7 Agora, pois, Senhor, que espero eu? A minha esperança está em ti.
8 Livra-me de todas as minhas transgressões; não me faças o opróbrio do insensato.
9 Emudecido estou, não abro a minha boca; pois tu és que agiste,
10 Tira de sobre mim o teu flagelo; estou desfalecido pelo golpe da tua mão.
11 Quando, com repreensões, castigas o homem por causa da iniquidade, destróis, como traça, o que ele tem de precioso; na verdade todo homem é vaidade.
12 Ouve, Senhor, a minha oração, e inclina os teus ouvidos ao meu clamor; não te cales perante as minhas lágrimas, porque sou para contigo como um estranho, um peregrino como todos os meus pais.
13 Desvia de mim o teu olhar, para que eu tome alento, antes que me vá e não exista mais.

Este é mais um salmo atribuído ao Rei Davi.

No começo do salmo, vemos o autor inquieto com o que fala. Na verdade, ele parece perceber que falar demais, ainda mais quando perto de pessoas erradas, pode ser uma grande fonte de pecado. O simples fato de falar demais já nos faz ir em direção ao pecado. E quando falamos perto de outra pessoa? Talvez a pessoa que ouve pode distorcer o que foi falado e quem falou fique chateado e acabe cometendo erros diante dessa situação. Talvez porque quem ouve muitas vezes vai querer provocar quem está falando para falar mais, aprofundar, e podemos passar da conta ao fazer isso...

O fato é que ele nota que deve falar pouco. Realmente, quando falamos demais, podemos cometer exageros! A língua...

Mas é complicado ficar quieto o tempo todo. Ainda mais quando ouvimos coisas erradas e que a Palavra do Senhor nos mostra o que é certo. Acabamos sentindo a necessidade de nos pronunciarmos (versículo 3). Devemos meditar na Palavra e evitar falar demais, mas não podemos nos omitir de falar o que é vontade do Senhor. Ao falar nossa vontade, corremos o risco de errar. Mas se meditarmos na Palavra do Senhor e falarmos das coisas Dele, se buscarmos uma vida de santidade diante do Senhor, Ele próprio vai falar na hora certa através de nossos lábios e a Palavra que falarmos será muito bem temperada!

O salmista ainda está preocupado com o seu tempo de vida. Essa preocupação parece demonstrar que ele quer na verdade, dar atenção ao que realmente é importante. É fato que quando temos uma preocupação mais latente com a vida (ou o tempo dela), nós passamos a nos preocupar em fazer as coisas que nos parecem mais importantes. Mas isso deveria ser uma constante! Nós não sabemos o dia nem a hora que deixaremos a vida que vivemos aqui. Assim, não apenas pela preocupação diante de algum problema, mas o tempo todo, devemos nos preocupar com as coisas mais importantes a serem feitas e, com certeza, cometer erros ou pecados não fará parte dessa lista. Nem mesmo falar demais, pois devemos tomar cuidado com as palavras...

É por isso que nossa esperança deve estar no Senhor. É assim que temos o sentido para nossa vida. É assim que conseguimos fazer o que realmente é importante, pois o Espírito Santo nos mostrará e nos dará forças e formas para realizarmos. É assim que conseguimos fugir do pecado, de falar demais, pois o mesmo Espírito Santo nos direciona. É assim que conseguimos fazer o que realmente precisamos fazer e não perderemos tempo com o que nós queremos que, mesmo que até pareça bom, é ir contra a vontade do Senhor.

Devemos, ligados ao Senhor, esperar Nele o que fazer, como fazer, quando fazer... O que falar, a que horas falar, a que horas ficar quieto...

Quando pecamos, podemos sofrer punição. Então, devemos fugir do erro e confiar no Senhor. Nele há consolo e direção para a vida!

 

Forte abraço.
Em Cristo,
Ricardo, pastor

Esta meditação foi enviada em 05/07/07 por e-mail.