O cego e o publicitário

17/05/2007

 

Mais uma vez esta semana vou enviar hoje e amanhã textos como os que enviamos normalmente nas sextas-feiras.
 
O texto de hoje é para nos ajudar a meditar em como temos muitas coisas em nossa vida que, muitas vezes, nem damos valor. Coisas que parecem pequenas ou até comuns, mas que nós deveríamos dar o devido valor, pois são importantes! No texto vemos uma dessas coisas. Você pode meditar e lembrar de todas as outras que você tem e dar valor!

 

O Cego e o Publicitário:

Um publicitário passava por um mendigo cego todos os dias de manhã e à noite e dava-lhe sempre alguns trocados. O cego trazia pendurado no pescoço um cartaz com a frase:

"Cego de Nascimento. Uma esmola por favor".

Certa manhã, o publicitário teve uma ideia: virou o letreiro do cego ao contrário e escreveu outra frase. À noite, depois de um dia de trabalho, perguntou ao cego como é que tinha sido o seu dia. O cego respondeu, muito contente:

- Até parece mentira, mas hoje foi um dia extraordinário. Todos que passavam por mim deixavam alguma coisa. Afinal, o que é que o senhor escreveu no letreiro???

O publicitário havia escrito uma frase breve, mas com sentido e carga emotiva suficientes para convencer os que passavam a deixarem algo para o cego. A frase era:

"Em breve chegará a primavera e eu não poderei vê-la".

 

Forte abraço.
Em Cristo,
Ricardo, pastor



Esta meditação foi enviada em 17/05/07 por e-mail.