Salmo 30

12/04/2007

 

Ações de graças pela libertação da morte
Salmo de Davi. Cântico da dedicação da casa

1 EXALTAR-TE-EI, ó Senhor, porque tu me exaltaste; e não fizeste com que meus inimigos se alegrassem sobre mim.
2 Senhor meu Deus, clamei a ti, e tu me saraste.
3 Senhor, fizeste subir a minha alma da sepultura; conservaste-me a vida para que não descesse ao abismo.
4 Cantai ao Senhor, vós que sois seus santos, e celebrai a memória da sua santidade.
5 Porque a sua ira dura só um momento; no seu favor está a vida. O choro pode durar uma noite, mas a alegria vem pela manhã.
6 Eu dizia na minha prosperidade: Não vacilarei jamais.
7 Tu, Senhor, pelo teu favor fizeste forte a minha montanha; tu encobriste o teu rosto, e fiquei perturbado.
8 A ti, Senhor, clamei, e ao Senhor supliquei.
9 Que proveito há no meu sangue, quando desço à cova? Porventura te louvará o pó? Anunciará ele a tua verdade?
10 Ouve, Senhor, e tem piedade de mim, Senhor; sê o meu auxílio.
11 Tornaste o meu pranto em folguedo; desataste o meu pano de saco, e me cingiste de alegria,
12 Para que a minha glória a ti cante louvores, e não se cale. Senhor, meu Deus, eu te louvarei para sempre.


Este é um salmo atribuído ao Rei Davi.

Vemos o salmista exaltando o Senhor, louvando por conta de vitórias diante daqueles que eram considerados inimigos. Levando-se em conta o Rei Davi, podemos pensar em batalhas. Mas nós podemos fazer a mesma oração/canção/declaração desse salmo: Exaltando ao Senhor porque Ele não permite que aqueles que se levantam contra nós, quer seja para questionar nossa fé, quer seja para ridicularizar o que cremos, ou ainda por querer em qualquer circunstância "passar a perna", ou sabe-se lá o que mais, prevaleçam em vitória diante de nós. O Senhor nos "exalta", dando a vitória, quer dizer, nos dando o que é melhor para nós. Quando não temos uma "vitória" diante de um "inimigo" e fica parecendo que ele prevaleceu, nos dias que se seguem vemos que o plano do Senhor era bem melhor que o nosso e podemos desfrutar de coisas melhores que as que imaginamos inicialmente já seriam boas. Em todo o tempo o Senhor nos livra e nos sara, até mesmo de nossas vontades que podem parecer boas, mas não são comparadas com a Vontade do Senhor para nós, a não ser, claro, que entendemos essa Vontade do Senhor antes, e a desejemos como nossa. Aí, o Senhor fará o desejo do nosso coração, aquele que é conforme a vontade Dele, e não simplesmente de acordo com a nossa.

Davi deixa claro que a vitória permitiu que ele continuasse vivo, mesmo quando as circunstâncias poderiam mostrar que não daria (v.3). Isso é motivo de louvor! Temos agradecido ao Senhor pela vida que temos? Temos nos lembrado que Ele nos guarda a cada dia e nos dá vitórias a todo instante, com Seu cuidado no livrando do mal? Agradeça!

Nos vs.6 e 7 vemos um problema que todos corremos o risco de passar: Davi confessa que o que recebeu em sua vida o fez imaginar que seria alto-suficiente. Esqueceu que era parte do cuidado do Senhor. Por isso no parágrafo anterior escrevi: Agradeça! Foi o Senhor quem te deu o emprego, a chance de estudo, a família, sua casa, e sei lá mais o quê! O Fôlego de Vida! Não pense que por ter uma vida ainda que relativamente, mas estabilizada, que você já é alto-suficiente. Não pense que por ter o que você imaginava necessário que você não precisa mais do cuidado do Senhor. Não pense que já é suficiente! E que você começou a conseguir com seu esforço. Quem te deu a oportunidade foi o Senhor! Quem te deu forças para seguir em frente foi o Senhor! Quem te deu vitória foi o Senhor! O seu esforço foi resultado da capacitação dada por Deus e por sua resposta positiva diante do desafio. Não pense que conseguiria sozinho!

O salmista, diante dessa confissão, sabe que falhou. E teme por sua vida. Clama por misericórdia para continuar seguindo nas suas coisas. Esse arrependimento deve estar presente em nossa vida quando realizamos algo contrário a vontade do Senhor. O Espírito Santo vai nos incomodar, se deixarmos Ele falar conosco. E veremos onde há necessidade de um ajuste em nossa vida para realizarmos a vontade do Senhor. Quando falhamos, o salário do pecado é a morte! Por isso a inquietação do salmista, clamando para continuar vivo. Arrependimento! Reconhecer que errou, buscar o perdão, a força para seguir e a direção a ser seguida debaixo da vontade do Senhor. Essa deve ser nossa resposta diante do erro.

O Salmo termina como começa: com o testemunho do cuidado do Senhor. Gratidão é a palavra deste salmo: gratidão pelo cuidado, pelo livramento, pela misericórdia, pelo perdão... Gratidão!

Declare seu amor pelo Senhor! Observe como Ele agiu em sua vida. Veja que mesmo nos momentos de angústia e dificuldade, o mal poderia ter sido pior! E mais: normalmente, nesses momentos, quando tudo parecia perdido, o Senhor te deu um alento, se é que já não deu a vitória em definitivo, mas sempre deu a você a força pra enfrentar as dificuldades e para continuar enfrentando, livrando você do que poderia ser pior. Agradeça! Louve! E saiba que o Senhor continuará cuidado de você. Não importa a dificuldade, o problema. Importa que você pode contar com o apoio e o cuidado do Senhor e, claro, com a vitória no tempo certo e da melhor forma, ainda que pareça que não vai dar. Confie! Agradeça!
 

Forte abraço.
Em Cristo,
Ricardo, pastor

Esta meditação foi enviada em 12/04/07 por e-mail.