O poder de um équeno defeito

23/03/2007

 

Mais uma sexta-feira!

Muitas vezes nos concentramos em grandes falhas e aquilo que parece aos nossos olhos um grande pecado. Mas nos esquecemos que diante do Senhor não existe diferença. O pecado que é grande ou pequeno aos nossos olhos, aquele que é intolerável e aquele que pode até merecer atenção para ser corrigido, mas que nós até aceitamos (é menos reclamado do que aquilo que parece uma grande falha!), diante de Deus não há diferença. Pecado é pecado! Roubar um carro, um banco ou uma caneta, em nossas leis, pode até ter penas diferentes. Mas diante de Deus, é roubo apenas... Não tem diferença. E a pena para o pecado nós conhecemos...

Assim, tenhamos cuidado com coisas grandes, claro, mas também com aquelas que nem mesmo parecem erradas! Para fugir do pecado, não devemos classificar o pecado em classes, mas devemos chamar pecado de pecado e fim de papo!

Segue a meditação de hoje:


Viajando num trem, de repente paramos.

O problema foi que um parafuso pequeno havia quebrado e fomos obrigados a seguir lentamente com um pistão só ao em vez de dois funcionando. Somente um pequeno parafuso estava quebrado!

Se tivesse sido corrigido o trem teria corrido sua trilha de ferro, mas a ausência daquela peça aparentemente insignificante atrapalhou tudo.

A analogia é perfeita; um homem, em todos os outros aspectos apto para ser útil pode, por causa de um pequeno defeito, ser impedido ou até tornado inútil para o ministério.

C. H. Spurgeon, "Lições Para Meus Estudantes".

 

Forte abraço.
Em Cristo,
Ricardo, pastor

Esta meditação foi enviada em 23/03/07 por e-mail.