Um milagre chamado amizade

16/02/2007

 

Mais um fim de semana!

Segue o texto de hoje. Quero, antes, lembrar que se você quiser compartilhar um texto com o grupo que recebe as meditações, basta nos enviar e tão logo seja possível, vamos compartilhar com o grupo, como já fizemos outras vezes:


Eles se conheceram quase por acaso, voltando da escola. Toinho deixou seus livros caírem no chão e Zé o ajudou.

Já que suas casas eram próximas, Zé o ajudou a carregar seu material escolar.

Passaram aquela tarde juntos, vendo televisão, jogando futebol e outros passatempos de adolescentes.

Formaram-se no colegial no ano seguinte.

Na noite da formatura, Toinho perguntou a Zé:

- Lembra-se de quando nos conhecemos?

- Sim, respondeu o amigo, você parecia um "nerd" com aquele monte de livros.

- Sabe porque eu estava carregando todos aqueles livros?

- Nem imagino, Toinho.

- Eu tinha limpado meu armário na escola e estava indo para casa tomar um vidro inteiro de um dos calmantes da minha mãe. Eu queria morrer... mas não queira deixar meu armário bagunçado.

- Que loucura, amigo! Por que isso?

- Minha vida estava uma droga!!! Mas, depois passarmos aquele dia juntos, conversando e rindo, eu percebi que se eu tivesse me matado, teria perdido aquele momento e tantos outros que estariam por vir. Quando você se abaixou para me ajudar a pegar aqueles livros no chão e se tornou meu melhor amigo, evitou que eu fizesse uma besteira. Obrigado!

Mas há amigo que é mais chegado do que um irmão.
Provérbios 18.24

 

Forte abraço.
Em Cristo,
Ricardo, pastor

Esta meditação foi enviada em 16/02/07 por e-mail.