Comentário de Epístola: Efésios

22/01/2007

 

Em Éfeso, na época da carta:
Éfeso era uma cidade com um importante porto na Ásia Menor, localizado perto da atual Izmir. Tratava-se de uma das sete igrejas a quem Jesus endereçou suas cartas em Apocalipse 2-3, um fato relevante para estudar esta epístola, uma vez que ela circulou originalmente para quase o mesmo grupo de igrejas.

Embora Paulo já tivesse passado por Éfeso antes (Atos 18.21), ele foi ministrar lá pela primeira vez no inverno de 55 d.C. Lá ele ministrou por dois anos inteiros (Atos 19.8-10), desenvolvendo um relacionamento tão profundo com os de Éfeso que sua mensagem de despedida a eles é uma das passagens mais emocionantes da Bíblia (Atos 20.17-38). 
 
Ocasião e Data
Enquanto estava preso em Roma, Paulo deve ter escrito Efésios, Filipenses, Colossenses e Filemom. Confinado e aguardando julgamento (3.1; 4.1; 6.20), o apóstolo escreve esta carta, endereçada especialmente para Éfeso, mas para ser lida por várias congregações. Efésios é, provavelmente, a mesma carta mencionada em Colossenses 4.16. 
 
A Carta
A mensagem central de Efésios é “para louvor de Sua glória (de Cristo)” (1.6,12,14). A palavra “glória” ocorre oito vezes e refere-se à grande excelência de Deus, sua sabedoria e seu poder. O objetivo está na publicação do compromisso de Jesus de construir uma igreja gloriosa, madura e de um ministério “sem mácula, nem ruga” (5.27).
Efésios revela o processo pelo qual Deus está trazendo a igreja para seu objetivo destinado em Cristo. Os passos básicos de amadurecimento são dados na direção do compromisso da igreja de lutar conta os poderes do mal: 1) antes da igreja ir para a guerra, ela deve andar; e 2) antes de andar, a igreja aprende onde ela está.
 
Esboço de Efésios 
Saudação 1.1-2

I. Ação de graças pelo plano de Salvação 1.3-14
  Propósito de Deus para a Igreja 1.3-6
  A Redenção em Cristo Une todos 1.7-12
  O Selo do Espírito Santo 1.13-14
 
II. A oração do apóstolo por discernimento 1.15-23
  Para corações que vêem com esperança 1.15-23
  Para a experiência que compartilha da vitória de Cristo 1.19-21
  A igreja: o copo de Cristo 1.22-23
 
III. A unidade de todos os crentes em Cristo 2.1-3.21
  O livramento da morte e do pecado 2.1-10
  Privilégios do Evangelho, compartilhados com os gentios 2.11-22
  O ministério da união de todos os santos em Cristo 3.1-13
  A oração do Apóstolo 3.14-21
  
IV. A responsabilidade do crente 4.1-6.9
  Andando na unidade do Espírito 4.1-16
  Andando em novidade de vida 4.17-32
  Andando em amor 5.1-21
  O lar cristão – várias recomendações 5.22-6.9
 
V. A vocação do crente para a batalha espiritual 6.10-20
  A realidade da batalha invisível 6.10-12
  Armadura para o guerreiro 6.13-17
  A Ação envolvida na batalha 6.18-20
 
Observações finais 6.21-24

 

Forte abraço.
Em Cristo,
Ricardo, pastor

Esta meditação foi enviada em 22/01/07 por e-mail.