Comentário de Epístola: 1 Coríntios

01/01/2007

 

Começou 2007! Aleluia!
 
Oficialmente, enviamos nossa primeira mensagem do Compartilhando Na Web, no dia 02/01/06. Enviamos uma no Natal de 2005, mas o início oficial do grupo que recebe as mensagens foi no dia 02/01/06, que foi uma segunda-feira. Hoje, no início de um novo ano, iniciamos o 2º ano de envio de Meditações. Que o Senhor no auxilie na preparação e que a internet nos ajude também!
 
Sempre que você quiser compartilhar um texto, uma meditação, um testemunho, com a lista de contatos que recebe estas meditações, basta nos enviar um e-mail com seu texto. Tão logo seja possível, iremos divulgar para toda a lista.
 
Gostaria de convidar você para fazer parte do Grupo de Oração do Compartilhando Na Web. Na página de Pedidos de Oração você encontra um banner que permite acessar uma página com um formulário para se cadastrar nesse grupo, preenchendo os dados solicitados e clicando em enviar. E se você não conseguiu dessa forma mas quer fazer parte do Grupo de Oração, encaminhe uma mensagem para este e-mail mesmo (o de meditações) e avise que gostaria de fazer parte do Grupo. Só com a confirmação de sua vontade em participar do Grupo é que posso encaminhar as mensagens semanais que são enviadas, com uma meditação e com pedidos de oração (do site e de agendas de oração).
 
Vamos ler a Bíblia em 2007? Se você quiser fazer isso junto com as pessoas que já se cadastraram no Compartilhando Na Web para tal, é só entrar na página do Plano de Leitura da Bíblia, preencher o formulário no início da página e enviar. Todos os dias você vai receber em seu e-mail a indicação do texto para aquele dia, para terminar a leitura da Bíblia até o final de 2007, se assim nos permitir o Senhor. Além dessa indicação, em alguns dias vamos compartilhar perguntas para facilitar o momento devocional e sempre que alguém da lista quiser compartilhar alguma impressão, algum testemunho sobre a leitura, encaminharemos para o grupo. E se não deu tempo de se cadastrar até o dia 1º (hoje!), não tem problema! Envie seu cadastro no dia que for possível e logo que começarmos um novo livro, você vai receber a indicação. Assim, mesmo faltando algum livro, você chega no fim do ano até o final e pode tanto fazer paralelamente a leitura do que faltou no começo do ano como iniciar novamente no ano seguinte e ler o que faltou ou até (e por que não?) ler tudo novamente.
 
Como estamos numa segunda-feira e temos um tema para o dia, seguimos com nosso “resumo livre da Bíblia”, hoje escrevendo sobre a primeira carta aos Coríntios:
 
 
Autoria
A autenticidade de 1 Coríntios nunca foi seriamente desafiada. É de Paulo!
  
Data
Paulo estabeleceu a Igreja em Corinto por volta de 50-51 d.C, quando passou alguns meses lá em sua segunda viagem missionária (At 18.1-4). Ele continuou a enviar correspondência e a cuidar da igreja depois de sua partida (1 Coríntios 5.9; 2 Coríntios 12.14). Durante esse ministério de três anos em Éfeso, em sua terceira viagem missionária (Atos 19), ele recebeu relatórios perturbadores sobre a complacência moral existente entre os crentes de Corinto. Para remediar a situação, ele enviou uma carta à igreja (1 Coríntios 5.9-11), que depois se perdeu (uma vez que na chamada 1º Carta que é a que temos na Bíblia, Paulo cita uma anterior que não possuímos). Pouco depois, uma delegação enviada por Cloe, membro da igreja em Corinto, fez um relato a Paulo sobre a existência de grupinhos na igreja. Antes que pudesse escrever uma carta corretiva, chegou outra delegação de Corinto com uma carta fazendo-lhe certas perguntas (1 Coríntios7.1; 16.17). Paulo enviou imediatamente Timóteo a Corinto (1 Coríntios 4.17). Então, ele escreveu a carta que conhecemos como 1 Coríntios, esperando que a mesma chegasse a Corinto antes de Timóteo (1 Coríntios 16.10). Visto que Paulo, aparentemente, escreveu a carta próximo ao fim do seu ministério em Éfeso (1 Coríntios 16.8) ela pode ser datada cerca de 56 d.C.
  
Contexto Histórico
A carta revela alguns problemas culturais gregos típicos dos dias de Paulo, incluindo a grande imoralidade sexual da cidade de Corinto. Os gregos eram conhecidos por sua idolatria, filosofias divisórias, espírito de litígio e rejeição da ressurreição física. Corinto era uma das cidades comerciais mais importantes da época e controlava grande parte das navegações entre o Oriente e o Ocidente. Situava-se na parte da Grécia e a península de Peloponeso. A cidade era infame, notadamente conhecida sua sensualidade e prostituição sagrada.
 
A principal divindade da cidade era Afrodite (Vênus), deusa do amor licencioso, e milhares de prostitutas profissionais serviam no templo dedicado à sua adoração. O “espírito” da cidade manifestou-se na igreja e explica o tipo de problemas que as pessoas enfrentavam e as recomendações de Paulo contra algumas atitudes.

A carta
Consiste na resposta de Paulo a dez problemas separados:

1) Divisão na igreja (grupinhos)
2) Incesto
3) Processos Criminais na esfera jurídica comum antes da tentativa de solução com base no cristianismo, amor cristão
4) Fornicação
5) Casamento e divórcio
6) Ingestão de alimentos oferecidos a ídolos
7) Uso do véu (ou “penteado” para as mulheres, levando-se em conta a prostituição religiosa que havia na cidade – cultos pagãos, a mulher cristã deveria ter uma atitude diferente na igreja para não parecer a mesma coisa desses cultos pagãos)
8) A Ceia do Senhor
9) Dons espirituais e
10) A ressurreição do corpo.
  
Esboço de 1º Coríntios 
Saudação e ação de graças 1.1-9
 
I. Falhas reprovadas
  a) O problema da divisão (grupinhos) que surgiu de uma preferência por lideres religiosos devido à sua suposta sabedoria superior 1.10-4.21
  b) Cristo não está dividido 1.10-17
  c) A Cruz 1.18-31
  d) O caráter da Pregação de Paulo 21-5
  e) Sabedoria Verdadeira 2.6-16
  f) Falta espiritualidade quando há divisões 3.1-4
  g) Como devemos ver os Ministros Cristãos 3.5-9 e 3.18-4-17
  h) Edificação sobre o Único Fundamento 3.10-15
  i) O Templo do Senhor 3.16-17
  j) Alerta aos soberbos
 
II. O problema da disciplina da Igreja interna ocorrida devido a um caso de incesto 5.1-13

III. O problema de processos entre os cristãos perante cortes públicas 6.1-11

IV. O problema de formicação com prostirutas oriundo de uma aplicação errônea do ensinamento ético de Paulo 6.12-20

V. O problema do relacionamento entre a esfera secular e a vida espiritual do crente, especialmente nas áreas de sexo, casamento e escravidão. 7.1-40

VI. Limites da Liberdade Cristã 8.1-11.1
  a) Carne oferecida aos ídolos 8.1-13
  b) Tolerância e Auto-Disciplina 9.1-27
  c) Exemplo 10.1-15
  d) Mesa do Senhor X Altares Pagãos 10.16-11-1
 
VII. Mulher na comunidade – uso do véu (ou penteado) 11.2-16

VIII. O problema de profanar a Ceia do Senhor 11.17-34

IX. O problema de manifestações espirituais que se originaram de uma abuso do dom de línguas 12.1-14.40
  a) A necessidade de diversidade 12.1-31
  b) A necessidade de amor 13.1-13
  c) A necessidade de controle 14. 1-40
 
X. Ressurreição dos mortos 15.1-58
XI. Concluindo observações pessoais 16.1-24

 

Forte abraço.
Em Cristo,
Ricardo, pastor

Esta meditação foi enviada em 01/01/07 por e-mail.