Pentecostes: vamos quebrar paradigmas!

08/06/2006

 

Escrevi outro dia sobre o capítulo 2 de Joel e disse que retomaria o assunto. Como já escrevemos um pouco sobre o que está “ao redor” do texto que é o mais conhecido da passagem, hoje vamos nos dedicar nessa que é a parte mais comentada:

Joel 2. 28 e 29

28 E há de ser que, depois derramarei o meu Espírito sobre toda a carne, e vossos filhos e vossas filhas profetizarão, os vossos velhos terão sonhos, os vossos jovens terão visões.
29 E também sobre os servos e sobre as servas naqueles dias derramarei o meu Espírito.

 
Depois de tanta coisa relatada no texto antes dessa parte (da qual tratamos com mais cuidado na outra oportunidade), o texto deixa claro o derramamento do Espírito, sobre toda carne! Não esqueça das outras coisas sobre as quais escrevemos anteriormente!
 
Sobre esse texto especificamente:
 
1) Derramarei o meu Espírito:
 
No Antigo Testamento vemos alguns lampejos da manifestação do Espírito, em algumas situações específicas e em algumas pessoas. Não era derramado como hoje, que todas as pessoas podem ter se buscarem o Senhor da forma correta. Apenas alguns, profetas ou dirigentes políticos da nação, e às vezes não tinham a manifestação do Espírito o tempo todo, como hoje podemos ter. Hoje somos chamados de Templo do Espírito (1 Coríntios 6.19)! Ele foi derramado em um momento específico da História, no Pentecostes, em Atos 2. Até aquele dia, o Espírito se manifestava, claro, mas não da forma como é hoje. O Pai enviou o Espírito quando o Filho retornou para o Pai e rogou por isso, pelo Consolador (João 14.16 e 16.7). Hoje, como um rio, o Espírito jorra a todo momento. Basta buscarmos e o Senhor se revelará! Exatamente como o rio, que durante anos jorrou suas águas, até que em um momento alguém entendeu como fazer com que o rio pudesse gerar energia elétrica! O rio sempre pôde fazer isso! Mas o ser humano precisou entender num momento da história que era possível. O Espírito está pronto para agir. Basta o ser humano entender a necessidade que ele tem do Senhor e deixar o Espírito agir. Já foi derramado!
 
2) Sobre toda carne:
 
Não há distinção de pessoas. No Antigo Testamento, eram apenas alguns e, muitas vezes, em alguns momentos específicos. Hoje em dia, todos podem desfrutar da manifestação do Espírito. Claro, buscando adequadamente o Senhor! Não há melhores ou piores! Há, se deixarmos, a manifestação do Espírito, em nós e através de nós.
 
3) Filhos e filhas profetizando:
 
Espera-se que uma pessoa mais velha tenha sabedoria para fazer uma profecia de forma mais adequada. A experiência da vida pode ajudar a discernir algumas coisas. Mas Filhos e Filhas... Sem experiência nenhuma, só a ação do Senhor. Profecia pura! Se o Senhor puder agir, Ele falará através de quem Ele quiser. O texto não quer limitar aos jovens a profecia. Quer, antes, estender aos jovens a possibilidade de profetizar, pois será o Espírito agindo. Não haverá como duvidar da profecia, que poderia ser realizada também com base na experiência. Será completamente o agir do Senhor. É claro que mais velhos também podem profetizar dessa forma, apenas em o Nome do Senhor! Mas, com a profecia partindo de jovens, será muito mais difícil questionar que a mesma possa ter sido realizada com base na experiência de vida. Isso mostra que o Senhor quer agir indistintamente, sem seguir o que poderia ser o padrão humano de observação!
 
4) Velhos tendo sonhos:
 
Aqueles que já viveram mais tempo podem deixar de ter sonhos, de aguardar algumas coisas. A experiência pode tornar a pessoa mais amarga. O Espírito quer derrubar esse padrão também! Quer mostrar que é possível sonhar, independente do tempo de vida. Por que? Porque serão sonhos da parte do Senhor!!! E esses, não há experiência humana de vida que possa abafar, se deixarmos o Espírito agir. Ainda que a dificuldade tente nos afastar da visão, o Espírito, se deixarmos Ele agir, sempre nos levará de volta pra visão, pro sonho do Senhor.
 
5) Jovens tendo visões:
 
Cai no mesmo ponto da profecia. Imaginava-se que seria mais fácil um velho ter uma visão, por ter experiência, para que pudesse discernir melhor a própria visão. Mas quando o Espírito é derramado, a experiência que vale é a que temos com o Senhor. Jovens e velhos podem ter visões e manifestarão o que o Senhor vê pra cada um de nós!
 
Com isso, o que podemos entender que o derramamento do Espírito vem fazer?
 
Quebrar paradigmas. Mudar padrões estabelecidos pela experiência humana. Vem agir na história, mas pronto a mudar o que precisa ser mudado. O Espírito pode agir da forma como Ele bem entende, basta deixarmos Ele agir em nós. Não dá pra estabelecer padrões! Ele é livre. Basta buscarmos verdadeiramente ao Senhor e receberemos dessa promessa. E o Senhor vai agir, quer seja da forma mais natural possível (aquela que esteja adequada aos padrões humanos) ou da forma mais sobrenatural possível, de acordo com o querer Dele.
 
O Espírito quebra paradigmas de que só a uma forma de acontecer as coisas. Poderão acontecer da forma como estamos acostumados. O Espírito pode agir assim também. Mas devemos estar bem preparados para que Ele mude e use qualquer forma. Ele não está num tubo de ensaio, podendo ser observado para que possamos definir como ele vai agir. Pode ser que Ele venha agir da forma mais comum. Pode ser que Ele use a mula pra falar.
 
O que precisamos é estar bem atentos ao agir do Senhor e com uma sintonia bem fina no nosso relacionamento com Ele, para que não venhamos a falar somente aquilo que gostaríamos que fosse, mas pra falar aquilo que o Espírito gera em nós. Na verdade, deixar o Espírito usar nossa boca e voz para falar Ele mesmo!
Deixa o Espírito operar!

 

Forte abraço.
Em Cristo,
Ricardo, pastor

Esta meditação foi enviada em 08/06/06 por e-mail.